Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Parlamentar dos EUA: Turquia fez mais pelo EI, do que contra

© AP Photo / Mursel Coban, Depo PhotosTanque turco durante incursão militar na Síria em fevereiro de 2015
Tanque turco durante incursão militar na Síria em fevereiro de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Turquia fez mais em apoio ao Estado Islâmico, do que contra, declarou o membro do comitê para forças armadas da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, Tulsi Gabbard.

Um cartaz com uma imagem do presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, apresentado em Istambul, Turquia - Sputnik Brasil
Saiba por que Erdogan não deveria pedir provas sobre envolvimento da Turquia com Daesh
“A fronteira aberta [da Turquia] com a Síria e sua assistência direta e velada ao Estado Islâmico e outros extremistas, somente provam que a Turquia não está conosco. Eles fizeram menos nesta luta contra o EI, do que fizeram em prol do EI”, afirmou Gabbard em entrevista à emissora CNN.

“A prioridade para eles [Turquia] é esmagar e se livrar dos curdos, que são a força mais eficiente no campo de batalha e que estão derrotando o EI no Iraque e na Síria. A segunda prioridade deles é se livrar do governo sírio de Assad e fazer de tudo possível para fornecer armamentos e munições para os que desejam o mesmo, incluindo grupos islâmicos extremistas como Al-Qaeda, Frente al-Nusra. Eles [Turquia] fortalecem os nossos inimigos, fortalecem o EI”, disse a parlamentar.  

A preocupação sobre as ações da Turquia no âmbito do combate ao terrorismo, com possível apoio ao EI, aumentou em diversos países após a derrubada da aeronave russa no espaço aéreo sírio pelas Forças Aéreas da Ancara. Nesta terça-feira, o presidente dos EUA, Barack Obama, convocou a Turquia a se concentrar no combate ao “inimigo comum” — o grupo Estado Islâmico — e anunciou que Ancara deveria empreender maiores esforços para defender as suas fronteiras com a Síria, de modo a evitar o acesso de terroristas. 

Празднование Дня ВМФ России - Sputnik Brasil
Rússia reforçará fronteira marítima com a Turquia
As relações da Rússia e Turquia vivem momentos de crise após o incidente, em 24 de novembro, no qual um caça turco F-16 abateu na Síria o bombardeiro russo Su-24. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, classificou o ataque de “um golpe nas costas” por parte de colaboradores dos terroristas. Após o trágico evento, Putin assinou um decreto sobre novas medidas de segurança nacional e medidas econômicas contra a Turquia.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала