Erdogan e abate do Su-24: vingança pela destruição do negócio petrolífero?

© AP Photo / Hussein MallaRebelde em frente à refinaria de petróleo, após captura pelas forças opositoras ao governo da cidade de Ras Lanouf, no Leste da Líbia
Rebelde em frente à refinaria de petróleo, após captura pelas forças opositoras ao governo da cidade de Ras Lanouf, no Leste da Líbia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A derrubada do bombardeiro russo Su-24 nesta terça-feira (24) pela FA turca pode ter sido um ato de vingança por parte do presidente Erdogan, especialmente no contexto de rumores de que a sua família pode estar envolvida em comércio ilegal de petróleo do Estado Islâmico, disse à Sputnik o especialista em Oriente Médio Stanislav Tarasov.

O abate da aeronave é “uma provocação muito séria. A família de Erdogan está envolvida diretamente neste incidente… É bastante possível que a catástrofe do Su-24 tenha sido um ato de vingança”, sublinhou o analista. 

Segundo alguns dados, o grupo jihadista ganha até 2 milhões de dólares por dia vendendo petróleo clandestinamente a intermediários turcos. Nesta quinta-feira (26) o premiê russo Dmitry Medvedev mencionou que alguns funcionários turcos são envolvidos neste negócio ilegal do Estado Islâmico. Ele não divulgou os nomes destas pessoas.

Presidente da Rússia, Vladimir Putin - Sputnik Brasil
Putin disse que Turquia deve parar de receber o petróleo do Estado Islâmico
​O presidente russo Vladimir Putin falou por sua vez, durante o encontro com o seu homólogo francês François Hollande, de fornecimento de petróleo à Turquia “à escala industrial” pelos terroristas na Síria, explicando que os pilotos russos tiraram fotos a partir da altitude de cinco mil metros de caminhões-cisternas na fronteira entre a Turquia e os territórios sírios controlados pelo Estado Islâmico.

Tarasov também supõe que o presidente turco pode ter laços diretos com os islamistas. 

“A Turquia foi recentemente sacudida por um grande escândalo de corrupção. Poderemos em breve saber que o próprio presidente Erdogan está ligado diretamente com o EI… Erdogan mantém constantemente a sociedade turca à margem. Os turcos sempre lutam contra inimigos domésticos ou estrangeiros. Isto levou a que Erdogan rompesse os laços com muitos países”, observou Tarasov. 

O presidente turco, segundo o especialista, está se tornando cada vez mais o “inimigo número um” no Oriente Médio. O abate do avião russo só irá ampliar esta tendência.

O incidente com o Su-24 “irá afeitar o equilíbrio regional de poder. Erdogan está ficando gradualmente mais isolado. Muitos o veem como um político corrupto e ditador. A Turquia transforma-se em uma força desestabilizadora no Oriente Médio”, sublinhou o analista.

Militantes rebeldes da oposição síria - Sputnik Brasil
EUA ainda armam terroristas na Síria com ajuda da Turquia, diz senador norte-americano
Porém, a sociedade turca mão quer perder um parceiro como a Rússia. Muitos, segundo Tarasov, contam com a ajuda de Moscou para garantir a integridade territorial da Turquia, localizada na proximidade de vários focos de instabilidade na região.

Nesta terça-feira (24), um bombardeiro russo Su-24 foi derrubado por um míssil ar-ar turco no espaço aéreo sírio. Os dois pilotos do avião conseguiram se ejetar antes de o avião cair. Um dos pilotos foi ferido quando descia de paraquedas e foi morto por islamistas. O copiloto foi salvo e enviado para a base de Hmeymim. 

Ancara declara que derrubou o avião russo porque ele violou o espaço aéreo turco, mas o Ministério da Defesa da Rússia sublinha que durante todo o voo o avião se manteve sempre sobre o território da Síria. “Isto foi registrado por meios objetivos de controle", acrescentou o departamento militar. O presidente russo Vladimir Putin chamou o abate do avião de "golpe nas costas" por parte de coniventes com o terrorismo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала