EUA culpa capitão por bombardeio a hospital da Médicos Sem Fronteiras no Afeganistão

© AP Photo / Médecins Sans Frontières via APHospital da ONG Médicos Sem Fronteiras, em Kunduz, no Afeganistão, após o ataque aéreo dos EUA.
Hospital da ONG Médicos Sem Fronteiras, em Kunduz, no Afeganistão, após o ataque aéreo dos EUA. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Um capitão, cuja identidade não foi revelada, foi responsabilizado pelos EUA pelo ataque norte-americano ao hospital da Médicos Sem Fronteiras em Kunduz, no Afeganistão, no dia 3 de outubro. Segundo publicou The New York Times ele foi suspenso pela ação que resultou na morte de 30 pessoas.

Hospital do Médicos Sem Fronteiras bombardeado no norte do Afeganistão no dia de 3 de outubro, em Kunduz - Sputnik Brasil
Número de vítimas aumenta no Afeganistão por culpa dos militares dos EUA
Logo depois do ataque, o comandante das forças estrangeiras no Afeganistão, John Campbell, afirmou que o hospital foi atingido por engano. A ONG, que mantinha aquelas instalações médicas há quatro anos, salientou que esta ficava em local visível e era amplamente conhecida por todos.

Campbell afirmara posteriormente que alguns militares não seguiram as regras de segurança, reforçando a posição de Washington de que o bombardeio aconteceu devido a um erro humano tendo sido confundido com uma instalação do Talibã.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала