EUA vão considerar parceria anti-EI apenas se a Rússia deixar de apoiar Assad

© AP Photo / Susan Walsh, FileJohn Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA
John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado dos EUA - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Os Estados Unidos estão dispostos a avaliar com a Rússia uma coalizão contra o Estado Islâmico, mas só se Moscou mudar sua postura quanto à situação na Síria e deixar de apoiar o presidente atual, Bashar Assad, declarou o porta-voz do Departamento de Estado, John Kirby.

Presidente francês François Hollande e presidente dos EUA Barack Obama durante a cúpula G7. 8 de junho, 2015 - Sputnik Brasil
Hollande apressa Obama para intensificar luta contra Estado Islâmico
“Se a Rússia tem intenção firme de combater o Estado Islâmico e mudar de postura em relação às ações militares na Síria, perfeito, então estaremos dispostos a debater sua participação na coalizão”, disse Kirby.

Os Estados Unidos, atualmente, lideram uma coalizão de países que vêm realizando ataques aéreos contra posições do Estado Islâmico no Iraque e na Síria desde 2014. Na Síria, entretanto, o s bombardeios não têm aval do Conselho de Segurança da ONU.

“Mas se você apoia Assad e lhe dá ajuda, isso não corresponde aos objetivos principais da coalizão, que são o fim do Estado Islâmico”, completou o porta-voz.

Moscou já declarou seguidas vezes que apenas o povo sérvio pode decidir o futuro de Assad. 

Desde o dia 30 de setembro, a aviação russa vem realizando ataques aéreos contra posições do Estado Islâmico a pedido de Assad.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала