Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Anonymous promete encontrar culpados pela queda do A321 no Egito

© AFP 2021 / OZAN KOSEUm simpatizante do Anonymous
Um simpatizante do Anonymous - Sputnik Brasil
Nos siga no
Hackers do grupo Anonymous promoverão ações independentes para encontrar culpados pela queda do avião A321 no Egito, declarou nesta terça-feira (17), ao canal RT, o porta-voz do grupo Alex Poucher.

Segundo ele, o Anonymous está fazendo todo o possível na internet para evitar que atos terroristas como o que derrubou o A321 se repitam.

"Estamos dispostos a tomar medidas para combater esse ataque. Foram mortos 200 russos, 200 pessoas, e não importa de que nacionalidade eles são, de onde eles sejam. Anonymous não ficará imparcial, não irá apenas assistir aos atos terroristas que ocorrem em diversas partes do mundo. Nós trabalhamos o tempo todo e fazemos o possível na rede global para evitar coisas semelhantes. Então aguardem pelo nosso vídeo" – disse Poucher.

Ele relevou ainda que o grupo Anonymous possui métodos que já comprovaram a sua eficiência na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico.

"Entre essas ferramentas podemos citar ataques DDoS e ataques hacker aos sites dos terroristas, impedindo-os de entrar na rede. Nós também os atrapalhamos a recrutar seguidores no Twitter e Facebook, bloqueando as suas contas. Nós temos amplas possibilidades para combater o EI graças a uma ampla rede de hackers experientes, especialistas em dados e espiões, que trabalham em todo o mundo. Temos pessoas que estão em estreita proximidade com o EI, portanto temos grande facilidade em juntar informações sobre o EI e sobre ações ligadas a ele. Além disso, nós criamos ferramentas, algumas das quais são muito melhores do que aquelas utilizadas pelas autoridades oficiais de qualquer país na luta contra o EI na rede" – explicou Poucher.

Local da queda da aeronave russa Airbus A321 no Egito - Sputnik Brasil
Rússia pede ajuda a todos países para encontrar responsáveis por atentado ao A321
Em 31 de outubro aconteceu a maior catástrofe da história da aviação russa e soviética – o Airbus A321, da companhia russa Kogalymavia (Metrojet), com 224 pessoas a bordo, caiu na Península do Sinai, no Egito. Todos os passageiros e membros da tripulação morreram. As investigações apontaram ter se tratado de um ataque terrorista.

O presidente russo Vladimir Putin declarou nesta terça-feira (16) que a Rússia conta com a colaboração de parceiros encontrar e punir os culpados por esse ato, e que essa ajusa será oficialmente solicitada pelo ministério das Relações Exteriores do país.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала