Revista alemã publica documento secreto sobre estratégia da Rússia na Síria

© REUTERS / Kayhan Ozer/PoolPresidente russo Vladimir Putin na cúpula G20 na Turquia
Presidente russo Vladimir Putin na cúpula G20 na Turquia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A revista alemã Der Spiegel afirma ter obtido o que ela descreve como "documento secreto do Kremlin "sobre a estratégia do presidente Putin na Síria, a principal ideia da qual é que o país deve ser "soberano, manter a sua integridade territorial" e deve continuar a ser um "Estado secular e democrático".

A revista afirma que existem "dois documentos internos de estratégia classificados, um dos quais foi obtido pela Spiegel".

Barack Obama conversa com Vladimir Putin antes da sessão de abertura da Cúpula do G-20 em Antália - Sputnik Brasil
Putin e Obama se encontram às margens do G20 na Turquia (VÍDEO)
O documento de uma página não inclui qualquer data ou assinatura, mas a revista ainda assim atribui o documento ao presidente.

"O próprio presidente redigiu o documento juntamente com seus assessores pouco antes da visita surpresa a Moscou do presidente sírio Bashar Assad, em 21 de outubro", escreve a revista. "O documento descreve a estratégia do presidente sobre a Síria em cinco posições principais."

Nele, Putin define que é necessário "impedir os terroristas de tomarem o poder na Síria" como a meta central. O país deve "permanecer soberano, manter a sua integridade territorial" e continuar sendo um "Estado secular e democrático".

No documento também está escrito "chegar a um entendimento com o Ocidente".

"O documento indica que o presidente russo espera iniciar um processo de negociações com o objetivo de realizar "eleições e uma reforma da Constituição que crie um justo equilíbrio em termos de direito de todos os grupos étnicos e religiosos da Síria".

O Kremlin também deixa claro, escreve a revista, que Moscou não vai insistir na candidatura de Assad como líder da Síria, mostrando aparentemente abertura em relação a uma das maiores demandas do Ocidente. 

No segundo documento, que surgiu na semana passada, na terça-feira (10), a agência Reuters divulgou informações sobre um alegado projeto russo da regularização na Síria com propostas que devem ser realizadas durante o período de transição política, bem como os prazos de eleições parlamentares e presidenciais no país. Um pouco mais tarde, as citações deste documento apareceram em várias matérias da mídia internacional.

Destroços na província síria de Idlib, uma das mais afetadas pelos conflitos civis no país - Sputnik Brasil
Mídia veicula falso ‘plano russo’ de solução da crise síria
A Der Spiegel também afirma que o "documento do Kremlin" também se refere ao comércio ilegal de petróleo do Estado Islâmico, afirmando que "devem ser tomadas medidas em conformidade com a Resolução 2199 do Conselho de Segurança da ONU para impedir o comércio ilegal de petróleo do Estado Islâmico e libertar os campos petrolíferos que foram ocupados pelos terroristas".

"Claro que isso também significa que os EUA terão que pressionar o seu parceiro da OTAN, a Turquia, para impedir o Estado Islâmico de ser capaz de continuar a vender o petróleo, que é contrabandeado através da Turquia", cita a revista um especialista em Oriente Médio Vladimir Isayev que comentou o "documento secreto".

O documento, aparentemente, também fala da formação de um "Grupo de Apoio à Síria", que, além da Rússia, incluiria os outros membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e os países centrais do Oriente Médio, bem como a União Europeia e a Alemanha. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала