Rússia pretende responsabilizar operadores de telecomunicações por apoio ao terrorismo

© AFP 2022 / AREF KARIMIMulher está usando um aplicativo no seu tablet
Mulher está usando um aplicativo no seu tablet - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Serviço Federal de Segurança russo (FSB) propôs elaborar uma lei que responsabilize os operadores de telecomunicações por permitir o financiamento dos terroristas na Internet.

“Agora é difícil descobrir tudo isto. Por isso são interpostos tão poucos processos judiciais nesta área. Por isso é necessário alterar a legislação, inclusive, assegurar a responsabilidade dos operadores (de telecomunicações)”, disse o representante do FSB, Andrei Yegorov, durante a reunião do comité internacional do Conselho de Federação, câmara alta do parlamento russo, na segunda-feira (16).

Na segunda-feira (16), o comité discutiu os atentados que tiveram lugar em Paris.

Yegorov afirmou que a ameaça da Internet é “alta” porque é onde “os militantes do Estado Islâmico são recrutados e organizam o financiamento [do terrorismo]”.

Também se manifestou a favor de aperfeiçoar a legislação que permite responsabilizar os que recrutam mercenários e recolhem dinheiro para financiar o terrorismo nas redes sociais.

Ao mesmo tempo, o primeiro vice-presidente do comité constitucional da Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo), Aleksandr Ageyev pediu que o chefe do FSB, Aleksandr Bortnikov, considere a possibilidade de limitar o acesso dos usuários russos ao aplicativo de troca de mensagens Telegram.

“Segundo as mensagens na mídia russa, o aplicativo Telegram é usado para divulgar propaganda pelos terroristas do Estado Islâmico”, afirma Ageyev. “Podemos admitir que ali decorre o processo de recrutamento de cidadãos russos para o Estado Islâmico”.

O deputado destaca que, segundo as informações na mídia, o Telegram foi usado pelos terroristas para coordenar as suas ações durante os atentados em Paris de 13 de novembro. Os especialistas dizem que toda a informação enviada através do aplicativo é protegida e passa por várias etapas de encriptação.

François Hollande, presidente da França - Sputnik Brasil
Hollande: atentados foram obra do Estado Islâmico
Ageyev sublinhou que na Rússia há muitas redes sociais, serviços da Internet e aplicativos que respeitam a legislação russa na esfera de combater o extremismo e que a limitação do acesso ao Telegram não prejudicará o direito à liberdade de expressão.

Hoje se tornou púbico que a Duma de Estado está preparando uma declaração oficial sobre os atentados em Paris. O presidente do Comité para Assuntos das Associações Sociais e Organizações Religiosas, Yaroslav Nilov, afirmou que o comité está elaborando o texto da declaração.

Uma série de atentados com tiroteios e tomada de reféns teve lugar em Paris na sexta-feira, 13 de novembro. Entre os locais afetados estavam várias ruas da capital, o teatro Bataclan, perto do centro, e o Estádio de França, ao norte da cidade. Segundo os últimos dados, os atentados levaram as vidas de 132 pessoas. É já o pior atentado da história francesa.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала