- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Estatal russa apresenta tecnologias nucleares únicas no Brasil

© Sputnik / Pavel Lisitsyn / Abrir o banco de imagensAutoridades da Jordânia destacaram confiabilidade e eficiência dos produtos da Rosatom (Росатом, em russo)
Autoridades da Jordânia destacaram confiabilidade e eficiência dos produtos da Rosatom (Росатом, em russo) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Na Universidade Federal do Rio de Janeiro finalizou a Semana da Energia Atômica, que ocorreu de 9 a 13 de novembro.

Na Semana da Energia Atômica participaram o reitor da UFRJ, Roberto Lehrer, o coordenador da engenharia nuclear Alessandro Gonçalves da Cruz, o ex-presidente da Eletrobrás Luis Luís Pinghelli Rosa, o vice-presidente da Associação Brasileira de Energia Nuclear Marcelo Gomes e o diretor de planejamento, gestão e meio ambiente da Eletronuclear, Leonam Guimarães. Os participantes discutiram a evolução tecnológica dos reatores nucleares e a matriz energética do Brasil.

Modelos de reatores nucleares Brest e MBIR no estande da Rosatom - Sputnik Brasil
Bolívia criará centro nuclear com tecnologia russa
Em 10 de novembro, o vice-presidente da empresa russa Rosatom Ivan Dymov apresentou uma comunicação sobre as oportunidades de aplicar a experiência da estatal Rosatom no mercado da América Latina. Segundo ele, além das capacidades de construir usinas nucleares, a companhia tem tecnologias em tais campos como a medicina nuclear e a agricultura, onde as tecnologias nucleares podem substituir os pesticidas usados para conservar os produtos. 

Uma outra direção da cooperação poderia ser o fornecimento de isótopos, que são cruciais para identificação e tratamento do câncer. Atualmente a Rosatom fornece isótopos à Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN).

Além disso, Ivan Dybov frisou que a companhia está interessada em fornecer combustível para os reatores nucleares na América Latina. 

«Podemos fornecer o combustível mesmo que o reator não tenha sido desenhado na Rússia», adicionou o representante russo.

Um outro tema abordado foi a construção do reator nuclear de pesquisas científicas. Um mês atrás, a Rosatom e a Bolívia assinaram um memorando que poderá tornar o país latino-americano um dos primeiros países na região a possuir um equipamento poderosíssimo para realizar investigações na esfera das tecnologias nucleares.

A segunda intervenção do vice-presidente da companhia russa foi dedicada à preparação de especialistas para a indústria nuclear. Ivan Dybov falou do sistema existente na companhia e destacou a cooperação com o Instituto da Engenharia Física de Moscou (MIFI).

No âmbito desta cooperação, os estudantes estrangeiros, incluindo do Brasil, podem participar do programa de preparação de especialistas na área atômica.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала