Estado Islâmico substitui Ucrânia na lista de fobias europeias

© AP PhotoCombatentes do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque, cidade de Mosul. 25 de junho de 2014
Combatentes do grupo terrorista Estado Islâmico no Iraque, cidade de Mosul. 25 de junho de 2014 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
De acordo com uma pesquisa de opinião pública recém-publicada, os cidadãos da República Tcheca prestam mais atenção à luta contra terroristas do Estado Islâmico do que à situação na Ucrânia – que fica muito mais perto.

A Sputnik contatou o sociólogo tcheco Petr Hampl, que divulgou a sua opinião sobre possíveis razões para os dados da pesquisa do Centro de Estudos da opinião pública que não parecem óbvias.

Refugiados em centro de recepção para imigrantes em Roszke, na Hungria, em 4 de setembro de 2015 - Sputnik Brasil
Comissão Europeia divulga previsão de chegada de refugiados até 2017
Geograficamente a Ucrânia fica mais perto à República Tcheca, mas, segundo o especialista, a distância não importa quando se trata da segurança. Ninguém sugeria que a crise ucraniana poderia transferir à República Tcheca e a migração dos ucranianos também nunca poderia apresentar grande problema, sublinha.

Mas os refugiados que chegam do Oriente Próximo criaram um fluxo de imigração que pode ameaçar não só a República Tcheca, mas toda a União Europeia.

78% de respondentes consideram o Estado Islâmico como uma ameaça à sua segurança; já 89% veem no grupo terrorista a ameaça à toda a Europa.

Mais do que isso, Petr Hampl opina que a mídia tenta esconder toda a profundeza do problema, mostrando imagens similares de refugiados pobres. Quando na realidade, segundo o especialista, os resultados de pesquisas recentes podem ser somados numa frase simples:

“Cada um que tem bom senso compreende que a migração islâmica é um fracasso terrível”.

As pessoas fogem do Oriente Médio rumo à Europa tentando escapar aumentadas tenções interiores e terrorismo, primeiramente apresentado pelo grupo terrorista Estado Islâmico. A crise migratória vem se acentuando especialmente depois de que a OTAN liderara uma missão norte-americana que destituiu o líder líbio Muammar Kadhafi, em 2011. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала