Alemanha se opõe a participação de Assad em governo de transição na Síria

© AFP 2022 / NATALIA KOLESNIKOVA Demonstrante russo está empunhando o cartaz com a imagem do presidente sírio Bashar Assad durante uma ação de apoio proximo à embaixada síria em Moscou, 1 de fevereiro de 2012
Demonstrante russo está empunhando o cartaz com a imagem do presidente sírio Bashar Assad durante uma ação de apoio proximo à embaixada síria em Moscou, 1 de fevereiro de 2012 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
As autoridades alemãs são terminantemente contra a participação do atual presidente da Síria, Bashar al-Assad, em um possível governo de transição no país, segundo declarou nesta segunda-feira o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha, Martin Schaefer.

O ministro das Relações exteriroes da Rússia, Sergei Lavrov, durante o encontro com a vice-presidente da Comissão Europeia, Kristalina Georgieva, em 8 de setembro de 2015 - Sputnik Brasil
Chanceler da Rússia comenta suposto acordo sobre saída de Assad do poder
"Até onde eu posso dizer, há na região uma série de atores e forças, incluindo a Turquia, a Arábia Saudita e outros países do Golfo, que consideram impossível, assim como nós, que Assad possa fazer parte de um governo de transição com todos os poderes", disse Schaefer em conversa com jornalistas.

A Síria tem sido palco de uma sangrenta guerra civil desde 2011, com o governo tendo que combater inúmeras facções de oposição e grupos militantes, incluindo o Estado Islâmico. 

Desde o início do conflito, os Estados Unidos e alguns aliados vêm investindo no apoio a alguns desses grupos de oposição e exigindo a renúncia de Assad. A Rússia, por sua vez, reconhecendo a legitimidade da autoridade local, defende que o povo da Síria deve ter a liberdade de escolher a sua própria liderança, sem pressões ou intervenções externas. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала