Lavrov: Rússia disposta a prestar apoio ao Exército Livre da Síria

© REUTERS / Joshua RobertsO chanceler russo Sergei Lavrov e o secretário de Estado norte-americano John Kerry, Sochi, 12 de maio de 2015
O chanceler russo Sergei Lavrov e o secretário de Estado norte-americano John Kerry, Sochi, 12 de maio de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Moscou está pronta para coordenar as suas atividades na Síria com os Estados Unidos, disse o chanceler russo, Sergei Lavrov, neste sábado (24).

O chanceler russo falava ao canal televisivo Rossiya-1 durante uma visita à península de Kamchatka, no Extremo Oriente da Rússia.

"Estamos prontos para uma coordenação profunda", disse Lavrov na entrevista para o noticiário russo.

Заседание Совета глав государств-членов ШОС в расширенном составе - Sputnik Brasil
Kremlin nega mortes civis em operação na Síria
Lavrov também ressaltou que a Rússia está pronta a prestar apoio aéreo à oposição moderada síria.

"Estamos prontos para incluir a oposição patriótica, incluindo o chamado Exército Livre da Síria, para lhes fornecer apoio aéreo, embora tenham recusado a nos dar as informações sobre onde, de acordo com dados dos EUA, os terroristas estão localizados, e onde está a oposição patriótica," adicionou Lavrov.

O ministro disse que o aspeto mais importante para a Rússia é encontrar os representantes de grupos armados que combatem o terrorismo:

"Nós nunca batemos à porta, nunca nos colocamos como ofendidos," acrescentou Lavrov. "Quando uma pessoa se recusa a falar sobre assuntos sérios, surge a questão se essa pessoa entende o que está acontecendo, se uma pessoa tem ideias como resolver o problema. Quando os nossos colegas norte-americanos têm tais iniciativas, sempre reagimos e nunca evitamos uma conversa", disse ele ao Rossiya-1.

De acordo com o ministro das Relações Exteriores, o fato de que o secretário de Estado dos EUA John Kerry propôs realizar uma reunião ao nível ministerial em Viena indica que Washington compreende a necessidade de participação da Rússia na resolução da crise síria.

"Eles têm a compreensão da necessidade do diálogo, bem como a compreensão de que um diálogo sem a participação da Rússia dificilmente pode resultar em paz na região. Caso, é claro, todos nós queiramos a paz na região, mas não perturbações contínuas e Estados em colapso, o seu enfraquecimento, mudanças de regime… Espero que não", disse Lavrov.

Chanceleres Feridun Sinirlioglu (Turquia), John Kerry (EUA), Adel Jubeir (Arábia Saudita) e Sergei Lavrov (Rússia) - Sputnik Brasil
Lavrov dá coletiva depois de encontro com Kerry
Além disso, Moscou espera que a União Europeia entenda que a sua postura "isolada" sobre a crise síria é inaceitável, disse ministro do Exterior russo Sergei Lavrov).

Segundo o ministro russo, o secretário de Estado dos EUA John Kerry explicou a recusa de Washington de aceitar uma delegação russa liderada pelo primeiro-ministro Dmitry Medvedev para conversações sobre a coordenação dos esforços para combater o terrorismo no Oriente Médio, dizendo que os EUA não estão preparados para tal contato e propôs trabalhar ao nível ministerial.

De acordo com Lavrov, a Rússia discutiu com Assad as perspectivas de encontrar uma solução política para a crise:

"Ele mesmo [Assad] está bem consciente disso [da necessidade de uma solução política], e, por sinal, ele expressou a ideia de que a fase militar do combate ao terrorismo tem de ser complementada por uma consolidação da parte saudável da sociedade e o começo de um processo político que garanta os interesses de todos os sírios, sem exceção, de todas as preferências étnicas e confessionais e pontos de vista políticos — todos no sistema estatal e no governo”.

Lavrov também disse que a Rússia está disposta a fornecer apoio aéreo ao Exército Livre da Síria na sua luta contra o terrorismo neste país mas, primeiro, o grupo deve fornecer à Rússia os dados sobre a localização precisa das suas forças.

Além disso, Sergei Lavrov notou que há esperança no avanço do processo político na Síria.

"Apesar da política em curso 'anti-Assad' e 'democratização', a compreensão correta da situação na Síria cresce", acrescentando que somente os sírios podem definir o seu destino.

Em 30 de setembro, a Rússia autorizou, após pedido correspondente de Damasco, o envio da sua Força Aeroespacial à Síria para realizar golpes aéreos contra alvos do Estado Islâmico (grupo terrorista proibido na Rússia). Desde o início da operação, 934 voos de combate foram realizados, 819 alvos dos terroristas foram destruídos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала