Israel e Jordânia fecham acordo determinando normas acerca da Esplanada das Mesquitas

© AP Photo / Sebastian Scheiner / Abrir o banco de imagensEsplanada das Mesquitas
Esplanada das Mesquitas - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governo de Israel prometeu manter o status quo no Monte do Templo, na Cidade Velha de Jerusalém, situada na parte oriental da cidade, lado palestino ocupado por Israel, afirmaram neste sábado (24) o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, o rei Abdullah da Jordânia e o presidente palestino, Mahmoud Abbas.

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel - Sputnik Brasil
Israel decide levantar muro na fronteira com a Jordânia
Jordânia e Israel chegaram a alguns acordos sobre a Esplanada das Mesquitas, incluindo a instalação de câmeras de vigilância para se possa monitorar "o que realmente acontece", segundo disse Kerry.

O secretário de Estado norte americano, que se reuniu separadamente com o rei Abdullah e Abbas, declarou a intenção de Israel em respeitar o acordo, segundo o qual apenas os muçulmanos podem orar no recinto da Esplanada, que os fiéis do islã chamam de Nobre Santuário, e os judeus de Monte do Templo.

Na Esplanada encontra-se a mesquita de Al Aqsa, o terceiro local mais sagrado para os muçulmanos, e os judeus situam nesta área o local de seus dois templos bíblicos destruídos.

Os não-muçulmanos podem visitar o complexo, mas não rezar lá. No tratado de paz assinado com a Jordânia, em 1994, Israel reconheceu a custódia jordaniana dos lugares sagrados muçulmanos e cristãos de Jerusalém Oriental, que Israel capturou da Jordânia, bem como os territórios ocupados na Guerra dos Seis Dias de 1967.

Vista de Jerusalém - Sputnik Brasil
'Política destrutiva’ de Netanyahu gera críticas tanto em Israel como no estrangeiro
Um dos motivos do aumento da violência nas últimas semanas na Palestina e em Israel tem sido devido a situação no Monte do Templo, local que a polícia israelense invadiu várias vezes e onde ocorreram graves distúrbios como resultado de visitas de grupos judeus durante feriados judaicos, que geraram fortes restrições para os fiéis muçulmanos em frequentarem o local.

A Autoridade Nacional Palestina (ANP) acusou o primeiro-ministro israelense Netanyahu de querer mudar os acordos sobre a Esplanada das Mesquitas, segundo Abbas disse a Kerry.

O rei Abdullah disse a Kerry que o ministério de Assuntos Islâmicos da Jordânia deve recuperar a custódia de Al Aqsa, lembrando que o órgão até 2000 foi responsável pela gestão de visitas aos não-muçulmanos. Abbas disse a mesma coisa ao secretário dos EUA.

Antes de 2000, os não muçulmanos entravam na Esplanada das Mesquitas sob o controle e as regras do ministério de Assuntos Islâmicos da Jordânia. No entanto, os israelenses mudaram as regras e agora visita-se o local depois de receber autorização das autoridades israelenses e após passar pelo controle de Israel, e no caso em que se considerar necessário, sob a proteção da polícia israelense.

Policiais israelenses estão revistando um jovem palestiniano próximo à entrada à Cidade Antiga em Jerusalém Oriental, 13 de outubro de 2015 - Sputnik Brasil
Israel reforça segurança no meio de confrontos
Kerry disse a Abbas que Israel tem que terminar com os "ataques de colonos" e "as execuções" de palestinos se se quer pôr fim à violência.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала