Moscou: OTAN perde oportunidade de interagir na luta contra o terrorismo

© AP Photo / Gerald HerbertBarack Obama, presidente dos Estados Unidos (EUA)
Barack Obama, presidente dos Estados Unidos (EUA) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Com as tentativas de promover sua atividade na Europa, a OTAN está perdendo a oportunidade de interagir para solucionar um problema bem mais significativo – o terrorismo global, declarou nesta quinta-feira, 22, a porta-voz oficial do ministério da Defesa da Rússia, Maria Zakharova.

"Com todo esse alarde a liderança da Aliança não enxerga ou esquece do principal – que nós podemos perder agora a nossa oportunidade comum de interagir sobre um gravíssimo problema global, mais precisamente sobre a luta contra o terrorismo internacional" – disse Zakharova em entrevista coletiva.

Comandante do Estado Islâmico Abu Omar al-Shishani - Sputnik Brasil
Kremlin: Estado Islâmico tenta formar coalizão contra tropas do governo na Síria
Ela destacou que enquanto a OTAN impõe a sua atividade em território europeu, "a janela de diálogo sobre o mais significativo problema do terrorismo internacional está se fechando", destacou a porta-voz.

Zakharova disse que os esforços da OTAN estão sendo focados "com grande dinamismo e vigor" para um "espaço desprovido de quaisquer motivos para isso", enquanto em outras regiões, como no Oriente Médio e no Afeganistão, não acontece a mesma ativação de esforços coletivos não acontece.

Junto a isso a porta-voz da chancelaria russa destacou que a ameaça terrorista só pode ser combatida "de forma coletiva", e que para unir os esforços é preciso deixar de lado "quaisquer ambições políticas e ideias sobre quem é o principal, que é o primeiro, quem é o líder".

"Infelizmente, com essas ações, a liderança da Aliança está colocando em ameaça a futura geração de pessoas que moram nesses países" – concluiu Zakharova.

Presidente russo Vladimir Putin encontra-se com o líder da Síria Bashar Assad em 30 de outubro 2015, em Moscou - Sputnik Brasil
Assad visita Moscou e trava negociações com Putin
A Rússia faz desde 30 de setembro ataques aéreos às posições do Estado Islâmico na Síria. Desde o início das ações, centenas de terroristas morreram e grande parte da infraestrutura do grupo jihadista foi destruída. Um navio da Marinha russa, baseado no Mar Cáspio, também disparou 26 mísseis em um único dia contra os extremistas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала