Novo aparelho russo mudará imagem do universo

O detetor de neutrinos de nova geração RED-100
O detetor de neutrinos de nova geração RED-100 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O detetor de neutrinos de nova geração RED-100, elaborado e construído pelo Instituto de Engenharia Física de Moscou (MEPHI) será transportado ao Laboratório Nacional de Oak Ridge do Departamento de Energia dos EUA para um experimento.

Novo drone da Rússia desenvolvido pela Rostec - Sputnik Brasil
Mídia dos EUA elogia novo drone da Rússia
Por meio deste detetor, os físicos esperam poder provar o efeito de espalhamento coerente de neutrinos em núcleos pesados, previsto no "Modelo Standart" há 40 anos mas que, não obstante as inúmeras tentativas, ainda não foi registrado.

“Se medirmos este efeito, vamos definir a que ponto entendemos a física. O efeito de espalhamento coerente desempenha um papel importantíssimo na evolução das supernovas e na evolução do universo em geral. Temos suspeitas de que este efeito não seja bem como a teoria prevê. Isto significa que a nossa imagem do universo vai mudar e nós sairemos além dos limites do mundo conhecido para o desconhecido”, disse o cientista. 

Chefe adjunto do Laboratório da Física Nuclear Experimental do MEPHI Aleksandr Bolozdynya
Chefe adjunto do Laboratório da Física Nuclear Experimental do MEPHI Aleksandr Bolozdynya - Sputnik Brasil
Chefe adjunto do Laboratório da Física Nuclear Experimental do MEPHI Aleksandr Bolozdynya

A instalação do RED-100 foi demonstrada aos jornalistas no decorrer de uma turné de imprensa organizada no MEPHI com o apoio da Agência Internacional de Informações Rossiya Segodnya.

Segundo o cientista, para realizar o experimento foi criada uma colaboração internacional, o projeto COHERENT, com a participação de mais de 60 físicos dos vários países. Dentro de alguns meses os físicos russos esperam fazer chegar o detetor ao Laboratório Nacional de Oak Ridge.

“Em Oak Ridge há um acelerador – uma fonte de impulso de neutrões. Este acelerador é único porque é, ao mesmo tempo, a fonte de impulso de neutrinos mais rápida do mundo. Não há melhor lugar para o nosso experimento. Nós propusemos usar um fluxo de neutrinos, que agora não se usa, no nosso experimento. Isto recebeu uma boa reação da administração de Oak Ridge. No entanto, há algumas dificuldades técnicas, de organização e jurídicas que estamos superando. Esperamos que não afetem a nossa colaboração científica internacional”, explica o cientista.

Prótese coberto de pele artificial que pode detectar pressão e lançar um sinal sensorial para o cérebro - Sputnik Brasil
Pele artificial dá nova vida aos sentidos
Além disso, o efeito de espalhamento coerente de neutrinos em núcleos pesados poderá ser usado para controlar a condição dos reatores nucleares. Além disso, será possível observar o que acontece no reator à distância.

“Os neutrinos passam por qualquer defesa, através de quaisquer edifícios. Se o registrarmos, poderemos independentemente dos outros aparelhos vigiar a condição do reator… É muito importante do ponto de vista da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) porque poderemos definir a quantidade de plutónio na zona ativa e consequentemente, vigiar para que todo o plutónio volte à reciclagem. Isto contribuirá para a segurança das armas nucleares”, disse Aleksandr Bolozdynya.

O cientista adicionou que o diretor adjunto da AIEA visitou o laboratório do MEPHI e ele pediu que ele mantivesse informado porque estes experimentos são do interesse da AIEA.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала