Conselheiros de Obama recomendam retirada militar americana na Síria

CC BY 2.0 / Morning Calm Weekly / Close-up of a US Flag patch as a US Army (USA) UH-60A Black Hawk (Blackhawk) helicopter
Close-up of a US Flag patch as a US Army (USA) UH-60A Black Hawk (Blackhawk) helicopter - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Conselheiros de segurança de alta patente do presidente americano, Barack Obama, recomendaram que os Estados Unidos retirem suas forças militares da Síria e abandonem os planos para a saída de Assad, segundo informou a DWN.

Presidente dos EUA Barack Obama - Sputnik Brasil
Obama finalmente se desculpa por ataque a hospital do Afeganistão
Oficiais de alta patente da Casa Branca sugerem que os EUA tome as medidas necessárias para melhorar a situação da população síria e pare o fluxo de refugiados, informou o jornal alemão.

Conselheiros argumentam que derrubar o presidente da Síria, Bashar Assad, não é mais viável. Portanto, os americanos deveriam recuar suas forças militares e contribuir para a restauração das cidades destruídas e do fornecimento de mantimentos que a população precisa. Segundo oficiais americanos, esses passos ajudariam a interromper o grande fluxo de refugiados que deixam essa região.

Presidente russo Vladimir Putin se encontra com o presidente norte-americano Barack Obama na 70ª sessão da Assembleia Geral da ONU, 28 de setembro de 2015 - Sputnik Brasil
Kremlin: Obama não teve argumentos contra Putin em conversa sobre a Ucrânia
O presidente dos EUA, Barack Obama, parece ter decidido seguir o conselho. Nesta sexta-feira, o presidente suspendeu temporariamente um programa militar estimado em US$ 500 milhões para treinar combatentes sírios, segundo informa reportagem do New York Times.

Esse método de combate não vem se mostrando eficaz: 54 combatentes treinados pelos EUA foram atacados recentemente e capturados pela organização terrorista Frente Nusra, segundo relatos da imprensa.

Além disso, como Josh Rogin e Eli Lake escreveram em sua análise para a Bloomberg, Barack Obama acredita que um maior envolvimento militar na Síria resultaria em altos gastos e várias mortes. Portanto, é bastante provável que os EUA agora adotem uma política mais discreta em relação à Síria e reduzam suas atividades militares no país.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала