UE e Rússia continuam cooperação espacial em meio da crise política

© Foto / NASAA Terra vista da Estação Espacial Internacional
A Terra vista da Estação Espacial Internacional - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Agência Espacial Europeia (ESA) e a Agência Espacial Federal Russa (Roscosmos) continuam estudando o planeta Vermelho. Um acordo sobre isso foi assinado no âmbito do Salão Aeroespacial Internacional MAKS 2015 que se realiza na cidade de Zhukovsky, perto de Moscou.

Um visitante examina um estande no Salão Internacional de Aviação e Espaço MAKS 2015 na Rússia em Zhukovsky - Sputnik Brasil
Rússia será independente das importações de aparelhos espaciais
O programa conjunto da ESA e Roscosmos ExoMars visa buscar os vestígios de vida em Marte, o que é muito importante no processo dos preparativos para as missões tripuladas do futuro. O chefe da Roscosmos, Igor Komarov, frisou o nível alto da confiança nas relações com os parceiros europeus e confirmou que o lançamento da primeira missão do veículo de lançamento Proton vai ser realizado em janeiro de 2016. Em 2 de setembro uma nova tripulação, que incluirá o astronauta dinamarquês Andreas Mogensen, vai ser lançada a partir de Baikonur para a Estação Espacial Internacional (EEI).

"Discutimos de forma construtiva e aberta os assuntos relacionados com as alterações do programa de voos espaciais e o funcionamento da EEI", disse Komarov no MAKS 2015. "Os projetos de exploração do espaço distante, os programas de Marte e de Lua devem ter um caráter internacional. O caráter dos trabalhos das agências espaciais obriga se distrair dos assuntos políticos", destacou o chefe da Roscosmos.

Visitantes do Salão Internacional de Aviação e Espaço MAKS 2015 passeiam entre os aviões e helicópteros - Sputnik Brasil
Abertura do Salão Internacional de Aviação e Espaço MAKS 2015 na Rússia
A crise política nas relações entre a Rússia e o Ocidente não deve afetar a cooperação espacial, opina o chefe da ESA Johann-Dietrich Woerner. Na sua opinião é mais importante ter um parceiro seguro como é a Roscosmos.

Em entrevista à radio Sputnik o chefe da ESA disse, "A nossa cooperação é muito sólida. Sabemos que precisamos uma da outra na realização das missões para Marte e Lua. Estou satisfeito com a fato de que temos tais relações. É muito importante manter os contatos especialmente nas circunstâncias de uma crise política. A ciência e a pesquisa espacial podem ser um elemento de ligação nessa situação crítica. Se nós todos queremos que o período da crise acabe, é impossível parar a cooperação. A área espacial pode ter um papel importante neste processo como foi no período da Guerra Fria, quando se realizou o projeto russo-estadunidense Soyuz-Apollo. Agora o mundo é global e a ESA pode contribuir para o estabelecimento da compreensão mútua entre diferentes países. Estou pronto a estimular isso", disse Woerner.

Segundo os céticos, grandes programas espaciais não é o melhor investimento, particularmente, no meio da crise econômica e financeira. A ESA e a Roscosmos estão seguras de que a divisão das responsabilidades e investimentos permitirá economizar no orçamento e dará os bons resultados para o desenvolvimento futuro da ciência e indústria de todos os países que participam dos projetos espaciais.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала