Coreia do Sul e EUA começam exercícios considerados por Pyongyang uma declaração de guerra

© AFP 2022 / Jung Yeon-JeSul-coreanos se reúnem em frente à Embaixada dos EUA em Seul para pedir uma solução pacífica para os problemas com a Coreia do Norte.
Sul-coreanos se reúnem em frente à Embaixada dos EUA em Seul para pedir uma solução pacífica para os problemas com a Coreia do Norte. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Coreia do Sul e os EUA começaram nesta segunda-feira (17) exercícios militares em território sul-coreano envolvendo 80 mil homens. O treinamento, que simula uma invasão da Coreia do Norte, foi classificado por Pyongyang como uma provocação e considerada uma declaração de guerra.

Broche com as imagens de Kim Il Sung e Kim Jong Il, respectivamente, fundador e atual líder da Coreia do Norte, junto à bandeira do país. - Sputnik Brasil
Pyongyang promete “ataques sem piedade” em represália a exercícios de EUA e Coreia do Sul
O Comitê para Reunificação Pacífica da Coreia mostrou preocupação com o alto risco de um acidente militar que poderia gerar um conflito na península. Na semana passada, o grupo destacou que a realização destes exercícios seria um pouco menos do que uma declaração de guerra.

Em frente à Embaixada dos EUA em Seul, cidadãos sul-coreanos se reuniram para protestar contra os exercícios militares conjuntos. Eles exibiram cartazes em forma de pomba e pediram uma solução pacífica para os problemas com o país vizinho.

Nesta segunda-feira, a Coreia do Norte respondeu a ações de propaganda ideológica de Seul realizadas na semana passada. O Ministério da Defesa norte-coreano informou que Pyongyang começou, assim como a Coreia do Sul, a emitir mensagens por alto-falantes na fronteira dos dois países. A prática não vinha sendo utilizada desde 2004, quando um acordo entre os governos foi assinado.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала