Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

EUA prontos para destruir a Europa a fim de derrotar a Rússia, diz historiador americano

© AFP 2021 / JEWEL SAMADBarack Obama e Vladimir Putin
Barack Obama e Vladimir Putin - Sputnik Brasil
Nos siga no
Para enfraquecer a Rússia, os EUA estão prontos para usar de quaisquer meios e lutar até o último suspiro, escreveu o historiador norte-americano Eric Suess. Segundo ele, Washington não leva em conta os interesses de seus aliados e está pronta para aceitar os danos infligidos sobre eles.

Flags of Russia, EU, France - Sputnik Brasil
"Sanções antirrússia são impostas contra vontade da maioria dos países europeus"
O fato de as sanções antirrussas prejudicarem a economia europeia e de Bruxelas estar lutando para resolver a enorme crise atual de refugiados é bastante aceitável para os estrategistas norte-americanos, disse Suess, citado pela agência alemã DWN.

De acordo com ele, a fim de enfraquecer a Rússia, o presidente dos EUA, Barack Obama, tem seguido uma política de desestabilização na Líbia, na Síria, na Ucrânia e em outros países, a qual afetou negativamente os Estados europeus.

Antes das missões de bombardeio dos EUA na Líbia em 2011, a população do país vivia em paz e prosperidade, argumentou o historiador. Mas, agora, o país africano tornou-se o maior problema da Europa. Milhões de líbios estão fugindo do caos no país para procurar asilo em campos de refugiados no sul da Itália, bem como em outros lugares da Europa.

Refugiados africanos resgatados no Mediterrâneo por oficiais da Marinha da Irlanda - Sputnik Brasil
Mais de dois mil imigrantes morreram este ano no Mar Mediterrâneo
Ainda segundo Suess, a Síria é outra nação que está sendo destruída pelos EUA, em um esforço para abalar a Rússia. A missão norte-americana de bombardeios na Síria, de acordo com ele, tem o objetivo de derrubar o presidente Bashar Assad, aliado de Moscou, e substituir seu governo secular por um de caráter islâmico. 

Assim, para o historiador, retórica "Anti-Estado Islâmico" é apenas uma maneira de disfarçar o real objetivo de Washington, que seria o de expandir o “império norte-americano”. Em outras palavras, segundo Suess, trata-se apenas de um show para a opinião pública, que claramente está mais ansiosa para lutar contra o grupo terrorista do que contra um país distante como a Rússia.

Um soldado iraquiano, do grupo aliado da coalizão ocidental, durante um combate com as forças do Estado Islâmico - Sputnik Brasil
Uso de armas químicas pelo EI será pretexto para os EUA intensificarem ataques?
De forma semelhante, os EUA desempenharam um papel importante no golpe de Estado que derrubou o presidente Viktor Yanukovich na Ucrânia, em fevereiro de 2014. A diferença é que, daquela vez, a manobra foi feita sob o pretexto de manifestações democráticas, afirmou Suess.

De acordo com o estudioso, o principal objetivo da política destrutiva de Obama é “derrotar” a Rússia, para forçar uma "mudança de regime" no país e torná-lo parte do “império norte-americano”. Basicamente, segundo Suess, os EUA querem que a Rússia perca seu estatuto de potência mundial que se opõe ao controle de Washington.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала