Escândalo de e-mails de Clinton pode lhe custar a carreira

Nos siga noTelegram
O assunto muito comentado do envio por Hillary Clinton de dados confidenciais a partir de seu e-mail pessoal ainda deve ser investigado mas um dos e-mails já fez surgir muitas questões diplomáticas.

O Departamento de Estado publicou mais um conjunto de e-mails de Hillary Clinton que a política enviou a partir da sua conta pessoal durante o período em que exercia o cargo de secretária de Estado.

Em um dos mails a uma confidente próxima, Sidney Blumenthal, Clinton descreve o premiê britânico, David Cameron, como "inseguro, inexperiente, dissimulado e muito pouco comprometido".

Lembramos que o Departamento de Estado tem publicado os mails de Clinton a pedido da antiga secretária de Estado. Clinton acredita que a divulgação da correspondência irá remover todas as suspeitas. No entanto, esta ainda fez surgir mais questões.

Hillary Clinton, ex-secretária de Estado dos EUA e pré-candidata à presidência do país - Sputnik Brasil
EUA confirmam o “desaparecimento” de 15 e-mails de Hillary
Enquanto isso, oficiais da inteligência norte-americana continuam tentando esconder o dano causado por centenas de segredos que alegadamente foram enviados via e-mail por  Hillary Clinton, a candidata presidencial do Partido Democrata.

Continua pouco claro por que razão o Departamento da Justiça dos EUA ainda não abriu um processo contra Clinton pelo possível vazamento de dados confidenciais.

“Não compreendo por que motivo o Departamento da Justiça ainda não conseguiu pelo menos começar a investigação deste caso”, declarou Kevin Carroll, advogado residente em Washington e ex-funcionário da CIA.

O escândalo começou em março do ano corrente, quando se tornou público que a ex-secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton pode ter violado a lei federal por ter usado durante o seu mandato (2009-2013) o e-mail exclusivamente pessoal, que não era protegido.

A ex-primeira-dama disse que a conta única para fins pessoais e profissionais era uma questão de conveniência, e que todos os seus e-mails de trabalho foram incluídos nas 55.000 páginas de documentos que posteriormente foram entregues ao Departamento de Estado. Os e-mails de natureza pessoal foram destruídos, diz ela.

Caso se venha a provar que Clinton realmente vazou informações secretas, a carreira da ex-senadora pode ser evidentemente dificultada, bem como suas pretensões à presidência dos EUA em 2016.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала