Conselho de Segurança aprova por unanimidade resolução sobre programa nuclear iraniano

Nos siga noTelegram
Os países membros do Conselho de Segurança da ONU votaram a favor da resolução sobre o programa nuclear iraniano.

No documento se diz que o Irã não pode criar armas nucleares, mas pode usar a energia atômica para objetivos civis. Todos os membros permanentes (Reino Unido, China, Rússia, EUA e França) e dez membros não-permanentes do Conselho de Segurança votaram a favor da resolução.

A resolução também inclui o esquema da renovação das sanções se o Irã violar os compromissos. Em caso de violação, Teerã só pode escapar às sanções se o Conselho de Segurança da ONU adotar a resolução correspondente. Se pelo menos um dos membros permanentes se pronunciar contra, as sanções serão renovadas no prazo de 30 dias.

O representante permanente da Rússia na ONU, Vitaly Churkin, afirmou que adotando a resolução os países não só “viraram uma página, nas um capítulo nos trabalhos do Conselho, formando uma nova realidade”.

Vitaly Churkin disse que a Rússia espera que todos os países ajudem a realização dos acordos sobre o programa nuclear iraniano.

Os especialistas estão de acordo que o papel da Rússia nas negociações foi crucial. Sergei Seregichev, especialista em Oriente Médio na Universidade Humanitária Estatal Russa, disse:

“Quem fez o Irã concordar com os Estados Unidos? Foi a Rússia. Sem a Rússia, não teria havido nenhum acordo."

No entanto, no domingo (19) durante sua visita ao Oriente Médio, Ashton Carter, secretário da Defesa norte-americano, afirmou que o acordo com o Irã não significa que os EUA abdiquem dos métodos militares para com o Irã se aquele criar uma bomba atômica.

“Uma das razões porque este acordo é bom é que ele não proíbe a variante militar”, disse Ashton Carter aos jornalistas a bordo do avião a caminho de Israel.

John Kerry e Benjamin Netanyahu - Sputnik Brasil
Acordo com Irã irrita Kerry e Netanyahu
Contudo, segundo a própria mídia americana, os Estados Unidos continuam a política de duplos padrões. Firmando o acordo com o Irã, o país ao mesmo tempo tenta criar um sistema de segurança coletiva contra o Irã. Assim, o Wall Street Journal cita um alto funcionário do governo de Obama que diz que o governo quer acelerar as transferências de armas para seus parceiros no Oriente Médio.

Barack Obama respondeu a perguntas sobre o acordo com o Irã em coletiva de imprensa realizada na Casa Branca nesta quarta-feira (15) - Sputnik Brasil
Obama: apesar do acordo, EUA e Irã ainda terão diferenças profundas
Em Maio, Obama anunciou planos de criação de um sistema de defesa antimíssil para os Estados do Conselho de Cooperação do Golfo.

O sexteto e o Irã tentaram a chegar a um acordo abrangente desde novembro de 2013, quando foi firmado um acordo provisório.  

De acordo com o texto final do acordo nuclear, o Irã não pode criar ou adquirir armas nucleares e, em troca, o regime das sanções será aliviado. O texto sublinha que o acordo final contribuirá de forma positiva para a segurança regional no Oriente Médio.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала