Vaticano minimiza reação do Papa ao receber Cristo "crucificado" na foice e no martelo

© REUTERS / Osservatore RomanoEvo Morales presenteia o Papa Francisco com o Cristo "crucificado" na foice e no martelo.
Evo Morales presenteia o Papa Francisco com o Cristo crucificado na foice e no martelo. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O Vaticano informou ter ficado surpreso ao saber que o Cristo "crucificado" na foice e no martelo que o Papa Francisco recebeu do presidente da Bolívia, Evo Morales, na quarta-feira (8), havia sido originalmente esculpido pelo padre jesuíta espanhol Luis Lucho Espinal, assassinado em 1980.

Papa Francisco em visita ao Brasil durante a Jornada Mundial da Juventude de 2013 - Sputnik Brasil
Papa Francisco saúda Dilma e os brasileiros ao sobrevoar o Brasil
O presente foi recebido pelo Pontífice de forma constrangedora, uma vez que unia Jesus ao símbolo do comunismo, regime que perseguiu e matou muitos cristãos. No entanto, o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, afirmou que o Papa não teve qualquer reação negativa ao receber a réplica da escultura.

Muitos cristãos, porém, usaram as redes sociais para manifestar repúdio ao ato de Morales. O bispo espanhol José Ignacio Munilla disse no Twitter que o "cúmulo da soberba é manipular Deus a serviço de ideologias alheias". O presidente boliviano também foi criticado pela oposição do país, que afirmou que o chefe de Estado se aproveitou da situação para expôr sua posição ideológica.

Depois do encontro com Evo Morales, o Papa Francisco foi ao local do assassinato do padre Luis Espinal. Ele morreu em 21 de março de 1980 executado por um grupo paramilitar. O Pontífice o definiu como um "irmão nosso, vítima dos interesses que não queriam que se lutasse peal liberdade".

"Ele (Padre Espinal) pregava o Evangelho, o Evangelho que nos leva à liberdade e que nos faz livres. O Evangelho perturbava e por isso assassinaram-no", disse o Papa.

Luis Lucho Espinal nas em 1932, em San Fructuoso de Bages, na Espanha. Aos 30 anos foi ordenado sacerdote e, em 1968, rumou para a Bolívia como missionário da Ordem dos Jesuítas, a mesma do Papa Francisco. Lutou pela democracia e pelas causas sociais no país sul-americano, sendo por isso sequestrado, torturado e morto a tiros.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала