Obama anuncia reabertura da embaixada americana em Cuba

© AFP 2022 / MANDEL NGANPresidentes de Cuba (Raúl Castro) e Estados Unidos (Barack Obama) se encontraram durante a 7ª Cúpula das Américas, realizada em abril, no Panamá
Presidentes de Cuba (Raúl Castro) e Estados Unidos (Barack Obama) se encontraram durante a  7ª Cúpula das Américas, realizada em abril, no Panamá - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente norte-americano, Barack Obama, anunciou nesta quarta-feira que os Estados Unidos e Cuba chegaram a um acordo para reabrir suas respectivas embaixadas em Havana e Washington, marcando, assim, oficialmente, a retomada das relações diplomáticas entre os dois países. Segundo a Casa Branca, a reabertura deve acontecer depois do dia 20.

Cubanos na partida de futebol entre a seleção de Cuba e o NY Cosmos - Sputnik Brasil
Mais perto dos EUA, Cuba precisa de aliados seguros como Rússia e China, diz especialista
"O progresso que nós estamos fazendo hoje é outra demonstração de que não temos que nos prender ao passado", declarou Obama durante discurso em Washington, acrescentando que Cuba e Estados Unidos possuem interesses em comum em relação a diferentes assuntos, como na questão das políticas de combate ao terrorismo e das respostas a desastres. No entanto, ele também frisou que, por outro lado, as duas nações ainda possuem algumas divergências sérias, como no caso da liberdade de expressão.

"Nós não hesitaremos em falar quando virmos contradições a esses valores", afirmou. 

Em carta enviada ao chefe de Estado dos EUA, o líder cubano, Raúl Castro, disse que, "ao tomar essa decisão, Cuba está encorajada pela intenção recíproca de desenvolver relações respeitosas e de cooperação entre os nossos povos e governos". 

Moody's - Sputnik Brasil
EUA manipulam economia de Cuba

No final deste mês, de acordo com a Casa Branca, o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, irá a Havana para participar de uma cerimônia de hasteamento da bandeira americana na chamada Seção de Interesses, futura sede da diplomacia dos EUA em Cuba. Um evento semelhante deverá acontecer em Washington, no prédio que abriga a missão cubana nos Estados Unidos. 

Mesmo com a reaproximação entre Washington e Havana, tornada pública em dezembro passado, após meses de negociações mediadas pelo Papa Francisco e pelo Canadá, e com a retirada de Cuba da lista de apoiadores do terrorismo, no final de maio, o ponto de maior tensão entre os dois países, o embargo imposto à ilha caribenha em 1962, permanece em vigor. Para ser levantando, dependerá ainda de uma decisão favorável do Congresso americano. E, apesar da pressão exercida por Obama, não há garantias de que os parlamentares aprovarão a medida. 

 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала