Irã e P5+1 podem não cumprir prazo para assinatura de acordo

Nos siga noTelegram
O Irã e o grupo P5+1 pode não conseguir cumprir o prazo de 30 de junho, estabelecido para a assinatura de um acordo sobre o programa nuclear iraniano, afirmou o vice-secretário de Estado americano, Tony Blinken, durante o Fórum Global do Comitê Judeu Americano nesta segunda-feira.

Ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Javad Zarif, e o Chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, Ali Akbar Salehi, entre outros membros de sua delegação em Lausanne, 27 de março de 2015 - Sputnik Brasil
Sexteto fez concessões ao Irã sobre programa nuclear
O P5+1 e o Irã estão negociando um acordo para garantir a natureza pacífica do programa nuclear iraniano. Teerã concordou em reduzir suas atividades na área de enriquecimento de urânio e diminuir seu número de centrífugas em troca do fim das sanções aplicadas contra o Irã.

"A data-limite de 30 de junho está se aproximando rapidamente, e nós (Irã e P5+1) ainda não temos um acordo abrangente. Existe uma chance de que não alcancemos um acordo assim", disse Blinken. "Se não conseguirmos o que precisamos em alguns temas essenciais, não chegaremos lá."

Blinken enfatizou que o Irã precisa concordar com um regime de inspeção intrusiva e a redução gradual das sanções baseada em resultados verificáveis de que o país está cumprindo com seus compromissos.

Reunião de ministros das Relações Exteriores sobre o programa nuclear do Irã - Sputnik Brasil
Rússia e EUA se aproximam do consenso sobre as sanções da ONU contra o Irã
Um acordo nuclear abrangente, Blinken afirmou, é a melhor opção para evitar que Teerã desenvolva armas nucleares. Para ele, é "fantasia" acreditar que intensificar as sanções forçará o Irã a aceitar todas as demandas.

Blinken declarou ainda que opositores do acordo precisam levar em consideração que inspetores da Agência de Energia Atômica Internacional (IAEA, na sigla em inglês) verificaram que o Irã honrou todos seus compromissos feitos em um acordo interino em vigência desde 2013.

O processo de suspensão das sanções e o âmbito das inspeções têm sido os pontos de discórdia nas negociações. O Irã quer alívio imediato das sanções e se opõe a permitir a entrada de inspetores em instalações militares, que Teerã diz não terem relações com o programa nuclear.

Em abril de 2015, o Irã e o P5+1, composto por Estados Unidos, China, França, Rússia e o Reino Unido mais a Alemanha, concordaram com os moldes políticos de um acordo sobre o programa nuclear iraniano após um encontro na cidade suíça de Lausanne. As partes concordaram em chegar a um acordo abrangente até o dia 30 de junho.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала