Rússia escolheu melhores jovens fotógrafos

© Sputnik / Damir BulatovAgência Rossiya Segodnya e a Comissão Russa para a UNESCO lançam concurso fotográfico em memória de Andrei Stenin
Agência Rossiya Segodnya e a Comissão Russa para a UNESCO lançam concurso fotográfico em memória de Andrei Stenin - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Foram escolhidos os vencedores do Concurso Internacional de Fotografia Andrei Stenin. O diretor-geral da agência internacional de informação Sputnik, Dmitri Kiselev, abriu a cerimônia de entrega de prémios e agradeceu os participantes do concurso.

Alex Masi – Conto de Poonam sobre Esperança em Bhopal (Poonam's Tale of Hope in Bhopal) - Sputnik Brasil
Trabalhos de vencedores do Concurso Internacional de Fotografia Andrei Stenin
A organização recebeu cerca de 5 mil fotografias de 54 países da Europa (incluindo Rússia), África, Oriente Médio, Sudeste Asiático, Índia. A cerimônia foi realizada no centro de imprensa multimídia internacional da agência Sputnik.

O concurso, organizado pela Agência Internacional de Informações Rossiya Segodnya, sob a supervisão da Comissão Nacional Russa para a UNESCO, se tornou a única e a maior plataforma para os jovens fotógrafos. 

O valor do Grande Prêmio foi de 500 mil rublos (cerca de 9.500 dólares). O prêmio para o primeiro lugar foi de 50 mil rublos (atribuído ex-aequo a vários fotógrafos), o segundo prêmio foi de 35 mil rublos, e o terceiro de 25 mil rublos.

© Foto / Elena Anosova/Rossiya SegodnyaElena Anosova (Rússia), a série “Otdelenie” (Separação)
Elena Anosova (Rússia), a série “Otdelenie” (Separação) - Sputnik Brasil
Elena Anosova (Rússia), a série “Otdelenie” (Separação)

O Grande Prêmio foi entregue à jovem fotojornalista russa da cidade de Irktusk Elena Anosova pela série de fotos “Otdelenie” (Separação). Natalia Udartseva (Rússia), que integra o júri do concurso, fundadora e diretora da Escola de Arte Visual, comentou o trabalho vencedor, um conjunto de fotos sobre as mulheres em uma prisão:

“O segundo plano neutro ou quase neutro, as cores pouco saturadas, quase descoradas, nos permitem concentrar a atenção nos detalhes – nas mãos, roupa, tatuagens, ações, expressões e olhares de mulheres na história de Elena Anosova “Otdelenie”. Eles nos permitem sentir empatia e entrar no mundo destas mulheres, que estão sob vigilância constante. Os cabos de arame farpado, em contraste com as cores vivas, são uma metáfora poderosa. Nós frequentemente não vemos os olhos das mulheres, não vemos os detalhes do cotidiano na prisão. E é isso que aumenta a impressão ainda mais.”

Timothy Fadek, membro de júri (EUA), fotógrafo e professor de Cursos Superiores de Jornalismo da Universidade de Columbia, notou que, na sua opinião, o trabalho de Anosova foi o mais forte dos avaliados pelo júri.

O concurso consistiu de duas etapas – após a inscrição dos participantes no site stenincontest.ru, o júri votou os trabalhos recebidos em quatro categorias: "Top New" (principais notícias), "Current Issues" (temas atuais), "Sports" (esportes) e "Everyday Life" (fotos do dia a dia).

Jovens fotógrafos da França, Alemanha, Itália, Portugal, Eslovênia, Peru, China, Síria, Irã, Israel e Rússia receberam diplomas de primeiro, segundo e terceiro lugares.

Os fotógrafos que receberam o primeiro prêmio ex-aequo foram: Corentin Fohlen (França) com o único trabalho "Vida de Refugiados" (A life of refugees), Cristina Brazhnikova (Rússia) com a série "Precisamos de Mães Diferentes " na categoria "Current Issues", Alexey Loshchilov (Rússia) com o único trabalho “Visita ao Museu” (Vizit to the museum), Elena Anosova (Rússia) com a série “Otdelenie” (Separação) na categoria "Everyday Life", Cristina Brazhnikova (Rússia) com a foto “Treinamento” (Sport training), Adel Pazyar (Irã) com a série “Como um Peixe“ (Like a Fish), Hosam Katan (Síria) com “Soldado da Defesa Civil traz Menino Morto ” (Fighter of civil defence carriy dead boy), Jonas Wresch (Alemanha) com a série “A Noite Terrível – Resistência Indígena na Colômbia“ (The Terrible Night — Indigenous Resistance in Colombia) na categoria "Top New".

© Foto / Guanguan Liu/Rossiya SegodnyaEm 6 de agosto de 2014, no concelho Ludian, província de Yunnan, China, voluntários e equipes de resgate carregam uma mulher ferida de 80 anos de idade ao veículo ambulância. Um terremoto de magnitude 6,5 atingiu Ludian, Yunan em 3 de agosto de 2014, 617 pessoas perderam suas vidas.
Guanguan Liu Terremoto em Yunan Ludian (Yunan Ludian earthquack) - Sputnik Brasil
1/4
Em 6 de agosto de 2014, no concelho Ludian, província de Yunnan, China, voluntários e equipes de resgate carregam uma mulher ferida de 80 anos de idade ao veículo ambulância. Um terremoto de magnitude 6,5 atingiu Ludian, Yunan em 3 de agosto de 2014, 617 pessoas perderam suas vidas.
© Foto / Daniel Rodrigues/Rossiya SegodnyaControvérsias e protestos contra o dinheiro excesso gasto para a realização da Copa do Mundo de 2014 não abalou a fé do brasileiro na igualdade no futebol. Quando há uma bola, não existe idade, sexo, status social ou terra que trava o que quer que tenha nascido para aquelas pernas. As desigualdades óbvias entre ricos e pobres desvanece-se com um grito emocional do gol. Mesmo longe do palco e dos holofotes, aqui a pontuação cresce com a pureza do jogo que podemos ver diariamente em campos de lama, favelas, edifícios em ruínas, na praia com vista pelo Cristo Redentor. É a fé na divisão de chuteiras, nas bolas remendadas que continua a preencher mundo imaginário com a relação visceral entre o brasileiro e o futebol. Em nome do Pai, do Filho e do espírito do futebol. Amém.
All the photo was take in March 2014
Daniel Rodrigues (Portugal) – Pessoas jogam futebol durante pôr do sol na praia de Ipanema, Rio de Janeiro (People playing soccer ball on Ipanema beach at sunset, Rio de Janeiro) - Sputnik Brasil
2/4
Controvérsias e protestos contra o dinheiro excesso gasto para a realização da Copa do Mundo de 2014 não abalou a fé do brasileiro na igualdade no futebol. Quando há uma bola, não existe idade, sexo, status social ou terra que trava o que quer que tenha nascido para aquelas pernas. As desigualdades óbvias entre ricos e pobres desvanece-se com um grito emocional do gol. Mesmo longe do palco e dos holofotes, aqui a pontuação cresce com a pureza do jogo que podemos ver diariamente em campos de lama, favelas, edifícios em ruínas, na praia com vista pelo Cristo Redentor. É a fé na divisão de chuteiras, nas bolas remendadas que continua a preencher mundo imaginário com a relação visceral entre o brasileiro e o futebol. Em nome do Pai, do Filho e do espírito do futebol. Amém.
All the photo was take in March 2014
© Foto / Adel Pazyar/Rossiya SegodnyaReza Pejman, um menino de 9 anos de idade, que é inata deficiênte de duas pernas e braço direito. Ele conseguiu quebrar o recorde de natação "costas" e "peito" após quatro meses de curso de natação profissional.
Reza está a preparar-se para as competições nacionais em uma pequena piscina local na sua cidade, Karaj.
Adel Pazyar “Como um peixe“ (Like a Fish) - da série - Sputnik Brasil
3/4
Reza Pejman, um menino de 9 anos de idade, que é inata deficiênte de duas pernas e braço direito. Ele conseguiu quebrar o recorde de natação "costas" e "peito" após quatro meses de curso de natação profissional.
Reza está a preparar-se para as competições nacionais em uma pequena piscina local na sua cidade, Karaj.
© Foto / Alex Masi/Rossiya SegodnyaPoonam, de 6 anos de idade, está festejando a chuva das monções em Oriya Basti, uma das colônias com água contaminada perto do complexo industrial Union Carbide (agora DOW Chemical) em Bhopal, Madhya Pradesh, Índia central. Quando anualmente a chuva de monção cai, ele se infiltra através dos resíduos enterrados de Union Carbide, antes de continuar e poluir reservatórios de água subterrâneos da área.
Alex Masi – Conto de Poonam sobre esperança em Bhopal (Poonam's Tale of Hope in Bhopal) - Sputnik Brasil
4/4
Poonam, de 6 anos de idade, está festejando a chuva das monções em Oriya Basti, uma das colônias com água contaminada perto do complexo industrial Union Carbide (agora DOW Chemical) em Bhopal, Madhya Pradesh, Índia central. Quando anualmente a chuva de monção cai, ele se infiltra através dos resíduos enterrados de Union Carbide, antes de continuar e poluir reservatórios de água subterrâneos da área.
1/4
Em 6 de agosto de 2014, no concelho Ludian, província de Yunnan, China, voluntários e equipes de resgate carregam uma mulher ferida de 80 anos de idade ao veículo ambulância. Um terremoto de magnitude 6,5 atingiu Ludian, Yunan em 3 de agosto de 2014, 617 pessoas perderam suas vidas.
2/4
Controvérsias e protestos contra o dinheiro excesso gasto para a realização da Copa do Mundo de 2014 não abalou a fé do brasileiro na igualdade no futebol. Quando há uma bola, não existe idade, sexo, status social ou terra que trava o que quer que tenha nascido para aquelas pernas. As desigualdades óbvias entre ricos e pobres desvanece-se com um grito emocional do gol. Mesmo longe do palco e dos holofotes, aqui a pontuação cresce com a pureza do jogo que podemos ver diariamente em campos de lama, favelas, edifícios em ruínas, na praia com vista pelo Cristo Redentor. É a fé na divisão de chuteiras, nas bolas remendadas que continua a preencher mundo imaginário com a relação visceral entre o brasileiro e o futebol. Em nome do Pai, do Filho e do espírito do futebol. Amém.
All the photo was take in March 2014
3/4
Reza Pejman, um menino de 9 anos de idade, que é inata deficiênte de duas pernas e braço direito. Ele conseguiu quebrar o recorde de natação "costas" e "peito" após quatro meses de curso de natação profissional.
Reza está a preparar-se para as competições nacionais em uma pequena piscina local na sua cidade, Karaj.
4/4
Poonam, de 6 anos de idade, está festejando a chuva das monções em Oriya Basti, uma das colônias com água contaminada perto do complexo industrial Union Carbide (agora DOW Chemical) em Bhopal, Madhya Pradesh, Índia central. Quando anualmente a chuva de monção cai, ele se infiltra através dos resíduos enterrados de Union Carbide, antes de continuar e poluir reservatórios de água subterrâneos da área.

Um total de 11 finalistas da Rússia, Bangladesh, China e Espanha receberam prêmios especiais do júri.

Os trabalhos dos premiados são publicados no site stenincontest.ru. A exposição dos trabalhos dos vencedores, bem como algumas fotos de Andrei Stenin, que morreu em serviço em agosto de 2014 no Sudeste da Ucrânia, será realizada no outono de 2015, em uma das salas de exposições de Moscou.

Os premiados do concurso que mereceram a mais alta avaliação do júri internacional retrataram os temas mais agudas da sociedade, que ultimamente são atuais na Rússia e em outros países: a vida e os problemas das pessoas com deficiência física, a vida na prisão, conflitos e tragédias de pessoas e muitos outros.

A escolha dos temas pelos jovens fotógrafos sublinha mais uma vez as mudanças que aconteceram e continuam acontecendo na sociedade graças à mídia.

O júri do concurso em 2015, constituído por profissionais reconhecidos na arte e fotografia nacional e internacional, foi encabeçado pelo fotógrafo norte-americano, vencedor da Fundação Guggenheim, Jason Eskenazi.

© Foto / Alekseeva Maria/Rossiya SegodnyaMaria Alekseeva – uma foto da série Testemunhas oculares da guerra (Witnesses to War)
Maria Alekseeva – uma foto da série Testemunhas oculares da guerra (Witnesses to War) - Sputnik Brasil
Maria Alekseeva – uma foto da série Testemunhas oculares da guerra (Witnesses to War)

Entre os que determinaram os vencedores em 3 de junho estão mestres reconhecidos internacionalmente pela sua capacidade de ver o mundo de forma diferente: Natalia Udartseva (Rússia); o fundador e diretor da Escola de Artes Visuais Andrei Polikanov (Rússia); o diretor artístico do portal de informação "Takie Dela" (Assim É); Attila Durak, do fundo de caridade Precisa de Ajuda (Turquia); o cofundador e curador do festival Fotoİstanbul, Grigory Dukor (Rússia); o editor-chefe do departamento de fotografia da agência Reuters e outros.

O Concurso Fotográfico Jornalístico Internacional Andrei Stenin é apoiado pela Agência de Notícias Xinhua, Royal Photographic Society, agência indonésia Antara Foto, RT, RBTH (Russia Beyond the Headlines), The Moscow International Centre for Journalism (MICJ), revista Tutto Digitale, the Academy of Photography, jornal online Vesti.ru, revista Foto&Video, Geophoto.ru, jourdom.ru, portal Fototehnika, Russian Photo, União dos Jornalistas de Moscou, site educativo photo-study.ru, School of Visual Arts, plataforma web para jovens jornalisas YOJO.ru e clube Foto.ru.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала