Novo presidente polonês não quer encontrar-se com Poroshenko

© AFP 2022 / BARTOSZ SIEDLIKO presidente polonês Andrzej Duda
O presidente polonês Andrzej Duda - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Andrzej Duda, o novo presidente eleito da Polônia, cancelou o seu encontro com o homólogo ucraniano Pyotr Poroshenko, que devia ter lugar em Varsóvia nesta quinta-feira (27), informa a Unian alegando a agência polonesa PAP.

Duda explicou a sua decisão pela agenda sobrecarregada. Ele terá que se deslocar a Bruxelas para participar da reunião do Parlamento europeu, do qual faz parte.

A mídia e cientistas políticos começaram a avançar hipóteses sobre as verdadeiras razões do cancelamento do encontro e do seu papel nas relações entre a Polônia e a Ucrânia no futuro.

Andrzej Duda vence as eleições presidenciais na Polônia - Sputnik Brasil
Moscou espera construir relações mutuamente benéficas com a Polônia
Marcin Domagała, um analista político polonês, opina por sua vez que neste momento é difícil adivinhar qual será a linha do novo presidente nas relações entre os dois países. Entretanto, segundo ele, durante a campanha eleitoral, Duda não fez nada que pudesse pôr em causa a atual política polonesa em relação à Ucrânia.

Entretanto, pode-se supor que Andrzej Duda irá tentar evitar os erros cometidos pelo antigo presidente polonês Bronislaw Komorowski durante a sua visita a Kiev. Lembramos que a lei que reconhece o Exército Insurgente Ucraniano (UPA, na sigla ucraniana) como combatentes pela independência foi aprovada pela Suprema Rada ucraniana logo após visita de Komorowski à Ucrânia e o apelo dele para uma reconciliação entre o povo ucraniano e o povo polonês que nos séculos anteriores tiveram uma complexa e difícil história comum.

Os historiadores poloneses recordam que entre 100 e 130 mil civis poloneses foram mortos na Ucrânia Ocidental (Volínia e Galícia Oriental) pelos combatentes do UPA.

A sociedade polonesa, especialmente a parte conservadora — que é a base eleitoral de Duda — ficou indignada com a decisão das autoridades ucranianas.

Veterans of the Ukrainian Insurgent Army (OUN-UPA) at the monument to Stepan Bandera during the Heroes Festival in Lviv. - Sputnik Brasil
Polônia não quer diálogo histórico após glorificação de colaboradores nazistas na Ucrânia
"Não pode haver reconciliação entre Polônia e Ucrânia sem um diálogo", disse o antigo presidente Komarowski em uma entrevista ao canal televisivo TVN24 após esses acontecimentos.

Rostislav Ischenko, presidente do Centro de Análise Sistemática da Ucrânia considera que a recusa do novo presidente polonês de encontrar-se com o seu homólogo ucraniano é um “mau sinal” para as autoridades ucranianas porque um cancelamento de um encontro previsto é uma “démarche diplomática”.

"O cancelamento do encontro significa pelo menos uma tentativa das novas autoridades polonesas de evitar conflitos dispensáveis. É claro que as relações entre a Polônia e a Rússia em geral permanecerão politicamente em conflito na mesma. Mas as novas autoridades polonesas, penso, querem desviar-se do tom de briga de rua indicado pela Ucrânia nas relações bilaterais e passar a relações frias mas pragmáticas", manifestou.

Segundo ele, Poroshenko neste encontro tentaria fomentar as tendências antirrussas na Europa. Porém, a Polônia neste momento não está interessada em aumento de confrontação com a Rússia porque tem de reestabelecer relações normais e pragmáticas com Moscou.

O presidente do Comitê da Duma de Estado para as Relações Exteriores, Aleksei Pushkov, opina por sua vez que o novo presidente polonês Andrzej Duda pode ser mais comedido nas relações com a Ucrânia porque percebe que Poroshenko não tem outro remédio senão tentar ter boas relações com a Polônia.

“Duda entende: Poroshenko não tem outro remédio senão pedir e fazer-se amigo da Polônia. E quer mostrar-lhe o seu lugar, assim como o lugar da Ucrânia”, escreveu Pushkov no seu Twitter.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала