Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Presidente da FIFA propõe amistoso entre Israel e Palestina

© AFP 2021 / FADEL SENNA / AFPPresidente da FIFA Sepp Blatter
Presidente da FIFA Sepp Blatter - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente da FIFA, Josef Blatter, propõe durante sua visita a Jerusalém realizar um amistoso entre Israel e Palestina para que o futebol deixe de ser politizado.

Blatter chegou a Israel para resolver a questão da proposta da Palestina de expulsar a seleção israelense da FIFA, proposta que será discutida no próximo congresso da federação no fim de maio, em Zurique, na Suíça, informa a Reuters. Segundo Blatter, ele não quer colocar esta questão controversa em votação, mas não tem poder para impedi-lo se os palestinos continuarem a insistir.

Emblema oficial da Copa do Mundo da FIFA Rússia 2018 é revelado - Sputnik Brasil
FIFA rejeita pedido de senadores dos EUA de privar a Rússia da Copa do Mundo 2018
A Associação de Futebol da Palestina acusou o lado israelense de interferir na sua atividade, restringir a circulação de jogadores entre a Faixa de Gaza e a Cisjordânia, permitir às equipes dos assentamentos judaicos participar no campeonato nacional.

Benjamin Netanyahu, após os palestinos apelarem à FIFA, prometeu "uma série de medidas" para apoiar o futebol palestino, informa a agência russa RIA Novosti.

“A politização do trabalho da Associação de Futebol pode vir a destruí-la. Você vai começar com a politização de Israel, então ela irá afetar todos os outros [países], e isso vai levar à degradação da instituição importante. Eu espero que você entenda… Quero que saiba que também apoiamos o futebol palestino”, disse o líder do governo israelense.

Blatter disse que estava "muito feliz" por ouvir o que Netanyahu disse.

“O futebol é mais forte do que todos os problemas possíveis. Estou certo de que vamos encontrar uma solução”, relata o serviço da imprensa, citando Netanyahu.

Entretanto, a Associação Palestina de Futebol recusou participar no possível amistoso.

“Não haverá nenhum compromisso. Nós não vamos tolerar as restrições à liberdade dos nossos atletas e responsáveis. Insistimos que todos os membros discutam abertamente o problema no próximo Congresso da FIFA”, disse o presidente da associação, Jibril Rajoub.

Ao longo da sua história, a FIFA já tinha conseguido resolver problemas parecidos. Por exemplo, em abril a organização rejeitou o pedido de 13 senadores norte-americanos de retirar da Rússia a organização da Copa do Mundo em 2018. A porta-voz da FIFA, Delia Fischer, disse, pelo contrário, que a realização do torneio poderá ser um impulso poderoso para um diálogo construtivo entre povos e governos e influenciar de maneira positiva as mudanças sociais.

“O futebol não pode ser considerado como um método de resolver todos os problemas, especialmente os problemas relacionados com a política mundial. Nós já vimos que a Copa do Mundo pode ser uma fonte de bem. A FIFA acredita que assim acontecerá na competição na Rússia", diz-se na resposta da FIFA.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала