Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ucrânia recomeça hostilidades para minar nova rodada de negociações em Minsk?

© AP Photo / Mstyslav ChernovObservadores de OSCE no aeroporto de Donetsk
Observadores de OSCE no aeroporto de Donetsk - Sputnik Brasil
Nos siga no
O exército ucraniano recomeçou os bombardeamentos de Donetsk na noite de segunda para terça-feira (19), um civil foi morto, informa a administração da cidade.

“Na noite de 18 para 19 de maio as Forças Armadas da Ucrânia recomeçaram os bombardeamentos intensivos de Donetsk. A situação na cidade durante a noite era tensa. Um projétil atingiu um prédio residencial de dois andares… Um homem foi morto”, diz-se no comunicado.

US Assistant Secretary of State for European and Eurasian Affairs Victoria Nuland gestures as she speaks during her press conference in Tbilisi - Sputnik Brasil
EUA querem ter mais influência sobre a mediação do conflito na Ucrânia
Inicialmente as autoridades de Donetsk informaram que não havia feridos mas depois foi divulgada a informação de que uma mulher ficou ferida em resultado dos bombardeios noturnos. 

O vice-chefe do exército da República Popular de Donetsk (RPD) Eduard Basurin chamou os bombardeios realizados pelo exército ucraniano de provocação, que visa minar as negociações que devem ser realizados em Minsk hoje (19). 

“O bombardeamento noturno de bairros residenciais de Donetsk são considerados por mim como uma provocação por parte de militares ucranianos cujo objetivo é minar a trégua e as negociações em Minsk”, frisou Basurin. Ele sublinhou que durante a noite foram disparados 60 projéteis de calibre 122 milímetros contra bairros residenciais de Donetsk.  

Nesta terça-feira (19) em Minsk são planejadas reuniões dos subgrupos para questões políticas e humanitárias. Na sequência do último encontro do Grupo de Contato em 6 de maio os participantes conseguiram formar quatro subgrupos que irão se tratar de assuntos concretos: questões econômicas e reconstrução de infraestruturas; questões de refugiados; deslocação interna de pessoas e assistência humanitária; questões políticas; questões de segurança. O trabalho dos subgrupos deve começar em Minsk em 19 de maio. 

© Sputnik / Igor Maslov / Abrir o banco de imagensO funcionário da missão especial da OSCE tira fotos da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
Donetsk após bombardeios noturnos - Sputnik Brasil
1/5
O funcionário da missão especial da OSCE tira fotos da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
© Sputnik / John Trust / Abrir o banco de imagensBombeiros e os habitantes da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
Donetsk após bombardeios noturnos - Sputnik Brasil
2/5
Bombeiros e os habitantes da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
© Sputnik / John Trust / Abrir o banco de imagensUma mulher no apartamento da casa atingida por progétil durante bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
Donetsk após bombardeios noturnos - Sputnik Brasil
3/5
Uma mulher no apartamento da casa atingida por progétil durante bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
© Sputnik / Igor Maslov / Abrir o banco de imagensA casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
Donetsk após bombardeios noturnos - Sputnik Brasil
4/5
A casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
© Sputnik / John Trust / Abrir o banco de imagensUma habitante do apartamento da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
Donetsk após bombardeios noturnos - Sputnik Brasil
5/5
Uma habitante do apartamento da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
1/5
O funcionário da missão especial da OSCE tira fotos da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
2/5
Bombeiros e os habitantes da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
3/5
Uma mulher no apartamento da casa atingida por progétil durante bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
4/5
A casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
5/5
Uma habitante do apartamento da casa destruída no bombardeio das Forças Armadas da Ucrânia na cidade de Donetsk.
Ao mesmo tempo, a situação deteriorou-se na área do aeroporto de Donetsk. A intensidade do tiroteio na área do aeroporto aumentou, é destacada a alta concentração do material blindado ucraniano nesta direção, disse hoje (19) à RIA Novosti um representante do centro conjunto de controle e coordenação do cessar-fogo. 

Durante os últimos dois dias aumentou drasticamente o número de tiroteios na área do aeroporto de Donetsk. Também foi registrada uma concentração de material blindado no lado ucraniano, nos povoados de Peski e Opytnoe, disse o representante do centro conjunto de controle e coordenação do cessar-fogo. 

Ele acrescentou que durante a noite a área do aeroporto foi bombardeada com armamentos pesados. 

“Desde a tarde foram realizados tiroteios intensivos da área do aeroporto, inclusive com uso de tanques, peças de artilharia autopropulsadas e morteiros de calibre 120 milímetros e canhões antiaéreos. Contatamos os lados dez vezes para que cessassem o fogo. Só à uma da manhã os tiroteios pararam”, comunicou.  

A Federação da Rússia fez múltiplas declarações sobre as violações da trégua por parte de Kiev em Donbass, disse aos jornalistas o porta-voz do presidente russo Dmitry Peskov, respondendo ao pedido de comentar a intensificação dos tiroteios e bombardeamentos na área de Donetsk.    

“Ali a situação se agudiza constantemente, e mais uma vez não tenho nada de novo a dizer, nós falamos muitas vezes sobre as violações por parte da Ucrânia, por isso não há nada para acrescentar, não há nada de novo”, manifestou. 

Lembramos que na semana passada o presidente da Ucrânia Pyotr Poroshenko disse que o aeroporto, que neste momento está sob controle das milícias independentistas, seria recuperado.

“Não tenho dúvidas de que iremos recuperar o aeroporto porque é a nossa terra. E vamos reconstruir o aeroporto”, frisou. 

Tais declarações do líder ucraniano geraram críticas não só dos participantes do processo de Minsk, mas também dos EUA.

“Se o presidente Poroshenko neste momento é a favor do início de quaisquer operações militares, nós sugeriríamos que pense mais uma vez antes de iniciar tais ações porque os Acordos de Minsk serão seriamente ameaçados e ficaremos bastante preocupados com o possível resultado dessas ações”, disse o secretário do Estado dos EUA John Kerry comentando as palavras de Poroshenko.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала