Não há razões para manter armas nucleares na Europa, diz o embaixador da Rússia na OTAN

© Sputnik / Grigory SysoyevAleksandr Grushko em 2011
Aleksandr Grushko em 2011 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O representante permanente da Rússia na OTAN, Alexander Grushko, disse nesta sexta-feira, 15, que não há razões objetivas para manter armas nucleares táticas na Europa.

"Eu estou falando sobre a prática da chamada missão nuclear de países membros da OTAN. Este problema não é novo. Ele surgiu antes mesmo da assinatura do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares (TNP) em 1968", disse o diplomata. 

Manobras das Tropas do Interior na Crimeia - Sputnik Brasil
Rússia aumentará poderio militar na Crimeia em resposta à OTAN
Segundo ele, "a questão é que as armas nucleares não estratégicas dos EUA ainda são implantadas nos territórios dos membros não-nucleares da aliança, por exemplo, na Bélgica, Alemanha, Itália, Holanda e Turquia". 

"No entanto, um número de membros não-nucleares da OTAN têm veículos aéreos, aviões capazes de transportar armas nucleares", observou Grushko, acrescentando que "isto é categoricamente proibido pelo tratado TNP”. 

O diplomata russo ainda destacou que “hoje não existem razões objetivas para manter armas nucleares táticas na Europa”. Segundo ele, “a mera presença das armas nucleares dos EUA na Europa é um fator desestabilizador”. 


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала