Programa nuclear iraniano: França mostra preferência pela Arábia Saudita

© REUTERS / Christophe Ena/PoolO presidente francês, François Hollande, à esquerda, é recebido pelo rei Salman da Arábia Saudita à sua chegada ao aeroporto de Riad, Arábia Saudita, na segunda-feira, 4 de maio, 2015.
O presidente francês, François Hollande, à esquerda, é recebido pelo rei Salman da Arábia Saudita à sua chegada ao aeroporto de Riad, Arábia Saudita, na segunda-feira, 4 de maio, 2015. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A França e a Arábia Saudita acreditam que qualquer acordo futuro entre o Irã e o sexteto deve garantir a segurança e não desestabilizar ainda mais a região, ameaçando os vizinhos do Irã.

A opinião dos dois países foi expressa antes da cúpula em Riad na terça-feira, 5 de maio.

A França é um dos países do sexteto de mediadores internacionais (Rússia, Estados Unidos, Reino Unido, França, China e Alemanha) que estão negociando o acordo abrangente com o Irã, a ser assinado até 30 de junho. O presidente francês, François Hollande, está em visita oficial em Riad a convite da Arábia Saudita. Nesta terça-feira, ele deve participar de uma importante cúpula do Conselho de Cooperação do Golfo Pérsico, realizada também na capital saudita.

Mohamad Javad Zarif - Sputnik Brasil
Irã: o prazo final para acordo nuclear não é um limite definitivo, diz ministro
No comunicado conjunto divulgado nesta terça, a França e a Arábia Saudita afirmam pretender um acordo com o Irã que “não desestabilize” a região:

“A França e a Arábia Saudita confirmaram a necessidade de chegar a um acordo forte e duradouro, verificável e indiscutível com o Irã. Este acordo não deve desestabilizar a segurança e a estabilidade da região, nem ameaçar a segurança e a estabilidade de vizinhos do Irã.”

Na segunda-feira, 4 de maio, Hollande se reuniu com o novo líder saudita, rei Salman bin Abdulaziz al-Saud, para discutir a situação no Oriente Médio, incluindo a guerra no Iêmen e na Síria. Ele também se encontrou com o presidente do Iêmen, Abed Rabbo Mansour Hadi, que fugiu do seu país após a revolta dos rebeldes houthis.

Lockheed Martin F-35 Joint Strike Fighter - Sputnik Brasil
Estados Unidos tentam fortalecer sua influência no Oriente Médio
A França é conhecida pela sua posição dura nas negociações com o Irã com vista a alcançar um acordo que garanta o caráter puramente pacífico do programa nuclear iraniano, em troca do levantamento das sanções impostas pelos EUA, a União Europeia e as Nações Unidas.

O sexteto chegou a um acordo-quadro sobre o programa nuclear de Teerã após uma maratona de negociações na Suíça, no início de abril. O grupo está atualmente trabalhando nos detalhes deste documento.

De acordo com os diplomatas franceses que acompanham Hollande durante a visita, a França também procura melhorar as suas relações com a Arábia Saudita e desempenhar um maior papel no Oriente Médio.

Um representante da AIEA desliga uma conexão na instalação de enriquecimento de urânio a 20 % em Natanz, em janeiro de 2014 - Sputnik Brasil
Irã e “sexteto”: limitações em troca de levantamento das sanções
"Eles queriam que nós viéssemos para que eles pudessem dizer aos norte-americanos: olhem, nós também temos a França, agora depende de vocês não ficarem distantes e permanecerem conosco," citou a agência Reuters uma fonte não identificada na delegação francesa.

Na segunda-feira, a França fechou um acordo de 6,3 bilhões de euros com o Qatar de venda de caças Rafale para o país. Proximamente, Paris deverá ainda assinar mais um negócio de caças com os Emirados Árabes Unidos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала