Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

UE, EUA, ONU e OSCE precisam pressionar Ucrânia para que seu governo combata o neonazismo

© Sputnik / Aleksandr Maksimenko / Abrir o banco de imagensSetor de Direita
Setor de Direita - Sputnik Brasil
Nos siga no
União Europeia, Estados Unidos, ONU, e Conselho Europeu precisam pressionar Ucrânia para que o seu governo solucione os problemas decorrente do neonazismo, disse o comissário do Ministério das Relações Exteriores da Rússia para os direitos humanos, Konstantin Dolgov.

Representantes do Setor de Direita - Sputnik Brasil
Nacionalistas do Setor de Direita se rebelam contra seus patrões no governo em Kiev
A Suprema Rada (Parlamento ucraniano) aprovou recentemente uma lei sobre “proibição dos regimes comunista e nacional-socialista” na Ucrânia, bem como o uso da simbologia referente. Esta lei ainda não entrou em vigor, pois não foi assinada pelo presidente. O documento polêmico provocou uma ampla discussão na sociedade do país, pois não apresenta caracterização clara para a sua aplicação.

“Somos de opinião de que UE e EUA, a quem Kiev dá ouvidos de modo bastante ativo, bem como as organizações internacionais, das quais Ucrânia faz parte, como ONU, OSCE e Conselho Europeu, devem pressionar o governo ucraniano”, disse Dolgov em entrevista aos jornalistas.

Ele destacou que a ameaça do “descontrole neonazista na Ucrânia não se limita às fronteiras do país”.

Praça Maidan em Kiev - Sputnik Brasil
Analista: “Neonazismo está se tornando nova ideologia de Estado na Ucrânia”
Dolgov aproveitou para comentar o relatório do Ministério das Relações Exteriores da Rússia sobre os problemas do neonazismo, no qual se fala em “uma política metódica de falsificação da história” e é feita uma análise da expansão e promoção dessa ideologia no mundo.

“O objetivo do relatório do Ministério das Relações Exteriores da Rússia é estimular a comunidade internacional para que pressione as autoridades de Kiev no sentido de adotar medidas concretas contra os neonazistas”, completou o diplomata.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала