Stephen Cohen: EUA serão incapazes de conter qualquer ameaça global sem a Rússia

© Sputnik / viperagpBandeiras dos EUA e da Rússia
Bandeiras dos EUA e da Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Washington precisa iniciar um diálogo pleno com a Rússia, já que a política de “isolamento” de Moscou não trará nada além de reforçar as fontes de tensão já existentes, declarou o cientista político norte-americano Stephen Cohen, durante o debate público Munk Debates, em Toronto.

Na sua opinião, a necessidade de cooperação com a Rússia é uma “verdade existencial” da política dos EUA. Para reforçar o seu ponto de vista, Cohen citou o ex-senador norte-americano Daniel Patrick Moynihan, que certa vez disse: “todos têm direito às suas próprias opiniões, mas não aos próprios fatos”.

“O fato é: o mundo hoje está em um perigo muito maior do que há 25 anos, quando a União Soviética existia. O número de potências nucleares aumentou, mas o controle sobre os arsenais nucleares diminuiu. Existem mais conflitos regionais, étnicos e religiosos, mais extremismo político e intolerância" — destacou o cientista político.

Em seu discurso, ele apontou ainda para um outro fato – segundo ele, nenhum desses perigos pode ser combatido sem a cooperação da Rússia, independente de quem estiver comandando o Kremlin.

O chanceler russo, Sergei Lavrov, durante conversa com jornalistas - Sputnik Brasil
Lavrov diz que tentativas de isolar a Rússia fracassaram
Cohen destacou que mesmo depois da dissolução da União Soviética, a Rússia continua sendo territorialmente o maior país do mundo, localizado na divisa entre os mundos ocidental e islâmico. A Rússia possui um enorme arsenal bélico e dispõe de mais recursos do que qualquer outro país – desde recursos energéticos, até recursos aquáticos. Além disso, segundo ele, a Rússia tem parceiros e aliados em todo o mundo, incluindo a Europa. Para Cohen, trata-se de fatos, e não de opiniões.

Analisando a política de Washington em relação à Rússia, o cientista político se pergunta se existem alternativas ao isolamento. Críticos da Rússia propõem desestabilizar o país, contribuindo para uma mudança de regime. No entanto, na opinião de Cohen, eles estão cometendo três erros fundamentais.

“Erro número um: no mundo globalizado em que vivemos é simplesmente impossível de isolar a Rússia, ela é grande demais. Na opinião do Ocidente, a Rússia possui muitas alternativas. Um fato: desde que o Presidente Obama declarou há alguns meses que a política dos EUA está voltada para o isolamento da Rússia, Moscou assinou mais acordos de cooperação econômica, política e financeira do que Washington. A Rússia tem a quem recorrer.” — acredita Cohen.

Casa Branca de Washington - Sputnik Brasil
Conselho de segurança: EUA continuarão rumo de isolamento da Rússia
Em segundo lugar, nas palavras do especialista, uma vez isolada do Ocidente, a Rússia não se tornará menos competitiva. Ela se aproxima de outros países e pode se orientar em qualquer direção, principalmente para o Oriente, o que, aliás, Moscou já está fazendo.

“Nós [EUA] precisamos de um parceiro no Kremlin. Não precisa ser uma amigo, mas um parceiro, que compartilhe os nossos interesses fundamentais. Para alcançar isso, precisamos iniciar um contato pleno sobre questões de segurança e outros assuntos” — concluiu Stephen Cohen.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала