Hollande: não há condições para venda de Mistrais à Rússia

© AFP 2022 / MIGUEL MEDINA François Hollande, presidente da França
François Hollande, presidente da França - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente da França confirmou nesta quarta-feira que a entrega dos porta-helicópteros Mistral à Rússia é ainda "impossível".

A declaração do mandatário francês foi feita durante uma coletiva de imprensa. 

Navio classe Mistral - Sputnik Brasil
Decisão de Hollande sobre Mistral foi catastrófica, diz parlamentar europeu
François Hollande disse que a França "não tinha a intenção de fornecer à Rússia armamentos letais".

“Tudo que eu posso dizer sobre os navios ‘Mistral’ é que, segundo as atuais condições, o fornecimento dos navios ainda é impossível”, disse Hollande em resposta a jornalistas.  

A companhia russa de exportação e importação de armamentos Rosoboronexport assinou com a companhia francesa DCNS um contrato para a construção de dois navios deste tipo em junho de 2011. As partes posteriores dos porta-helicópteros foram construídas no estaleiro russo Baltiysky (que faz parte da Corporação Unida de Construção Naval) em São Petersburgo. O acoplamento com as partes anteriores e as obras de acabamento foram efetuadas no estaleiro da companhia STX France, em Saint-Nazaire.

Sevastopol e Vladivostok, os dois navios da classe Mistral encomendados pela Rússia - Sputnik Brasil
Economista francês defende entrega de porta-helicópteros Mistral à Rússia
Anteriormente, o presidente francês, François Hollande, havia dito que decidiu suspender a entrega do primeiro dos navios (Vladivostok) por causa da situação na Ucrânia. Por sua vez, a Rússia declarou que está à espera do navio ou da restituição do dinheiro.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, por sua vez, afirmou durante a Linha Direta, realizada na semana passada, que está confiante que a França vai devolver o dinheiro pelos dois navios que a Rússia ordenou mas nunca recebeu. Segundo ele “Moscou não vai exigir o pagamento da multa. a Rússia assinou o contrato com a França para apoiá-la e reduzir o volume de trabalho de estaleiro”.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала