Primeiro-ministro ucraniano acusa Rússia de tentar desestabilizar o planeta

© REUTERS / Valentyn OgirenkoO primeiro-ministro da Ucrânia Arseny Yatsenyuk chega para a reunião do Conselho de Segurança em Kiev 4 de novembro de 2014
O primeiro-ministro da Ucrânia Arseny Yatsenyuk chega para a reunião do Conselho de Segurança em Kiev 4 de novembro de 2014 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Em uma entrevista ao diário italiano La Repubblica, o primeiro-ministro ucraniano Arseny Yatsenyuk demonstrou estar aparentemente perdendo a noção da realidade, alegando que a Rússia é uma nação agressiva que busca invadir a Europa e “desestabilizar o planeta” e, ao mesmo tempo, um país fraco com um punhado de problemas sem solução.

Na entrevista, publicada nesta terça-feira, Yatsenyuk afirma que “a Ucrânia é apenas a primeira batalha da guerra de Moscou contra o Ocidente” e declara também que seu país agora está “protegendo as fronteiras da União Europeia de uma invasão russa.” Para Yatsenuyk, “estamos todos em perigo, já que a Rússia quer desestabilizar o planeta e faz isso como um dos cinco integrantes permanentes do Conselho de Segurança da ONU, cujo objetivo é garantir a ordem mundial.”

O primeiro-ministro explicou que a “operação antiterrorismo” que a Ucrânia promove no leste do país só existem porque o presidente da Rússia, Vladimir Putin, teria decidido enviar suas tropas como firma de punir a Ucrânia por se juntar à Europa. “Queríamos nos juntar à Europa, contra a vontade de Vladimir Putin. Ele, para nos punir, lançou uma ofensiva no leste do país.”

Demonstrando aparente falta de conhecimento da realidade política na região de Donbass, o jovem primeiro-ministro observou que a Rússia “continua a fornecer tanques, artilharia pesada e dinheiro aos rebeldes”, afirmando ainda que a resolução para o conflito vai exigir que a Rússia “retire suas forças” de uma maneira que a Ucrânia possa reintegrar as regiões de Donetsk e Lugansk. Novamente culpando o presidente russo pelas falhas de Kiev, Yatsenyuk declarou que a resolução do conflito no leste da Ucrânia “ainda não é possível porque Putin não quer.”

Em todos momentos da entrevista, Yatsenyuk disparou contra Putin, afirmando que o presidente russo é “um doido” em quem não se pode confiar e dizendo que Putin “entende apenas a linguagem que ele fala: a linguagem rude.”

O primeiro-ministro ucraniano afirmou que Putin “superestima seu país, que está passando por problemas econômicos.” Para Yatsenyuk, “cedo ou tarde o regime em Moscou vai ruir” e a Crimeia voltará a fazer parte da Ucrânia. “As mesmas pessoas que comemoraram nas ruas de Sebastopol no ano passado quando se tornaram russos estão se arrependendo amargamente hoje. Confio em minha geração e na próxima. Todos farão o possível para garantir o retorno da Crimeia à Ucrânia”, concluiu. 

 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала