Pesquisa: maioria dos europeus não acredita no que mídia diz sobre a Ucrânia

© AFP 2022 / GERARD CERLESEuropeus não acreditam no que mídia diz sobre Ucrânia
Europeus não acreditam no que mídia diz sobre Ucrânia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A maioria dos gregos, alemães e franceses não acredita no que as mídias locais escrevem sobre os acontecimentos na Ucrânia, de acordo com uma investigação realizada pela agência Sputnik em conjunto com a empresa britânica de pesquisa ICM Reseacrh.

Em resposta à pergunta "Em que grau você confia nos principais meios de comunicação social de seu país, quando se trata de cobertura imparcial e objetiva da crise ucraniana?", mais da metade dos entrevistados (54%) respondeu que não confia na mídia do seu país. Totalmente confiam na mídia apenas 4% dos inquiridos.

Mulheres ucranianas discutam as últimas notícias - Sputnik Brasil
Documentos delatam guerra informativa antirrussa do Ocidente na Ucrânia
Os que menos confiam são os gregos, a grande maioria dos quais — 76% — disse que "não confia" (23%) ou "prefere não confiar" (53%).

O especialista nas questões da Grécia Aristides N. Hatzis, professor da Universidade de Atenas, explica que as mídias gregas são leais e amigáveis em relação à Rússia. Por outro lado, disse ele, os gregos desconfiam da mídia nacional.

Uma alta percentagem de desconfiança em relação às mídias verifica-se na Alemanha, onde mais de metade — 57% — dos alemães também duvidam da veracidade dos meios de comunicação em conexão com os acontecimentos na Ucrânia ("não confio" — 15%, ou "prefiro não confiar" — 42%). Os franceses que confiam nas informações sobre a crise ucraniana são 47%, os que não confiam são 40%.

De acordo com o cientista político francês e explorador Jean-Yves Camus, no Ocidente há uma grande desconfiança dos cidadãos em relação à imprensa e outros meios de comunicação. 

“O número de revistas e canais de TV independentes está diminuindo. Estes dados (resultados da pesquisa) não me surpreendem, especialmente em relação ao conflito ucraniano. As informações da nossa televisão ou revistas sobre o conflito, muitas vezes, se referem a fontes anónimas e ninguém é responsável por essas informações”, disse.

As mídias da Grã-Bretanha, em comparação com outros países, suscitam maior confiança nos cidadãos. Apenas 33% acreditam que não se deve confiar em seus meios de comunicação, enquanto 55% das pessoas acredita que eles cobrem os acontecimentos na Ucrânia com veracidade e sem deturpações. 

O ex-embaixador britânico na Rússia Tony Brenton afirma que a mídia britânica não cobre adequadamente os acontecimentos da crise ucraniana a partir da posição do lado russo.

“Embora a mídia do Reino Unido, sem dúvida, seja muito mais objetiva do que a russa ou ucraniana na cobertura da crise, nela não há histórias que falem sobre o ponto de vista do lado russo. Temos muitos exemplos”, relata agência Sputnik, citando Brenton.

A pesquisa foi realizada pela ICM Research no período de 20 março — 9 abril de 2015 no Reino Unido, Alemanha, França e Grécia. A amostra foi constituída por 4.001 pessoas (1.001 entrevistados na Grécia e 1.000 em cada um dos outros países).

O projeto "Sputnik-Opiniões" de investigação internacional da opinião pública foi lançado em julho de 2014. Ele realiza pesquisas regulares de opinião pública na Europa e nos Estados Unidos sobre as questões sociais e políticas mais prementes.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала