China substituirá Ocidente como parceiro econômico da Rússia

© flickr.com / Fundação Skolkovo Skolkovo Foundation
Skolkovo Foundation - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O centro de inovação russo Skolkovo e a empresa chinesa Cybernaut Investment Group assinaram um acordo de criação de um fundo conjunto de US$ 200 milhões, informaram as empresas num comunicado em 21 de abril.

O acordo visa a criação de uma incubadora conjunta de empresas russo-chinesas, um centro de robótica e um fundo de capital de risco. Sob o acordo, pelo menos 15 empresas-residentes de Skolkovo terão acesso à incubadora de empresas, que realizará pesquisas e desenvolvimento.

Soldados do Exército dos EUA - Sputnik Brasil
EUA aprofundam alianças regionais contra a China
O fundo conjunto russo-chinês vai se concentrar em empresas da área de Tecnologia da Informação (TI) e robótica, bem como em tecnologias espaciais e de telecomunicações, disse o comunicado.

O acordo foi assinado no âmbito do Fórum russo-chinês Grandes Oportunidades para as Pequenas e Médias empresas, realizado entre os dias de 21 e 22 de abril em Pequim.

O objetivo do acordo é o desenvolvimento conjunto, financiamento e comercialização de tecnologias inovadoras.

As partes concordaram em prosseguir com a implementação do acordo no terceiro trimestre de 2015.

Após a cerimônia de assinatura, o vice-primeiro-ministro russo Arkady Dvorkovich disse que "a China considera este projeto como uma boa oportunidade para promover os seus negócios na Rússia".

Relações sino-russas - Sputnik Brasil
Mídia: cooperação entre Rússia e China muda ordem mundial
"As primeiras empresas chegarão [à Rússia] em cerca de 1,5 ou 2 anos", disse Dvorkovich.

Na segunda-feira, 20 de abril, o Centro Nacional de Estudo da Opinião Pública (VTsIOM na sigla em russo) realizou uma pesquisa segundo a qual 66% dos entrevistados de diferentes regiões da Rússia opinam que a China pode substituir os países ocidentais como parceiro econômico da Rússia.
O Comissário russo para os Direitos dos Empresários, Boris Titov, comentou a situação:

"A nossa política em direção aos chineses é simples: manter todas as relações comerciais existentes com a União Europeia, mas criar um mercado do mesmo volume com a China".

Segundo ele, as sanções despertaram o interesse pela China – os empresários russos viraram-se para o vizinho oriental, embora houvesse interesse no passado e muitos projetos já tivessem sido implementados.

O sócio-gerente do grupo de investimento Cybernaut Du Hao comentou a cooperação entre a Rússia e a China: “Acho que isto é apenas o início. Tentamos trabalhar mais, investir mais na Rússia”.

Segundo ele, a razão de a Cybernaut tomar a decisão de investir na Rússia foram “as boas tecnologias russas”.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала