Crimes econômicos de Kiev não embaraçam União Europeia

© Sputnik / Andrey Stenin / Abrir o banco de imagensMaidan Nezalezhnosti, em Kiev, durante protesto
Maidan Nezalezhnosti, em Kiev, durante protesto - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O premiê ucraniano, Arseni Yatsenyuk, declarou na segunda-feira (20) que o orçamento da Ucrânia perdeu quase US$ 3 bilhões devido aos confrontos em Donbass. Ele explicou as perdas pelo fato de os impostos na zona do conflito não terem sido recolhidos.

Yatsenyuk não menciona o fato que vários milhares de pessoas foram mortos, deixados sem comida, abrigo, água, gás, medicamentos e assistência médica. Ele também esqueceu que os moradores de Donbass não recebem absolutamente nada de Kiev.

Desde 10 de abril a Ucrânia não paga pela eletricidade que vem da Rússia para o território de Donbass.

Gasoduto - Sputnik Brasil
Lugansk e Donetsk agradecem à Rússia por fornecimento de gás
Vale lembrar que a Ucrânia também se recusa a pagar pelo gás russo fornecido aos territórios das autoproclamadas Repúblicas de Donetsk e Lugansk (RPD e RPL respetivamente) desde meados de fevereiro.

Enquanto isso, Kiev continua pedindo empréstimos do FMI e parceiros ocidentais, e a tendência surpreendente é que os parceiros os continuam concedendo.

Os EUA vão fornecer à Kiev US$ 17,7 milhões em ajuda humanitária adicional, anunciou na segunda-feira (20) a Casa Branca. O comunicado correspondente foi divulgado após o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, e o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko terem falado por telefone.

Paratroopers of the 173rd Airborne Brigade of the US Army in Europe - Sputnik Brasil
Treinamentos conjuntos dos EUA e Ucrânia começam perto de Lvov apesar de Acordos de Minsk
Desde meados de abril de 2013 a Ucrânia começou a realizar uma operação militar para esmagar os independentistas no leste da Ucrânia, que não reconhecem a legitimidade das novas autoridades ucranianas que chegaram ao poder em resultado do golpe de Estado ocorrido de fevereiro do mesmo ano em Kiev.

Os Acordos de Minsk assinados pelo “quarteto da Normandia” (Alemanha, Rússia, França e Ucrânia) em 12 de fevereiro de 2014 prevêm a retirada de tropas e o cessar-fogo completo, mas os representantes da RPD e RPL têm repetidamente declarado que Kiev viola os acordos.

Entre 20 e 21 de abril em Bruxelas estão sendo realizadas consultas no nível de especialistas com a participação de representantes da Rússia, a Ucrânia e a União Europeia. Um dos temas principais será a parte econômica do acordo de associação da Ucrânia à UE.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала