Ucrânia se recusa a extraditar ex-presidente da Geórgia

© AFP 2022 / SHAKH AIVAZOVEx-presidente da Geórgia Mikheil Saakashvili
Ex-presidente da Geórgia Mikheil Saakashvili - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Ucrânia se recusa a extraditar o ex-presidente da Geórgia Mikhail Saakashvili para Tbilisi, segundo informou nesta quarta-feira (1º) a assessoria de imprensa da Procuradoria-geral ucraniana.

Saakashvili deixou a Geórgia e foi para os Estados Unidos em novembro de 2013, alguns dias antes da tomada de posse do atual chefe de Estado Georgy Margvelashvili. Em seu país, ele é procurado por abuso de poder, por planejar um ataque armado contra um legislador, e por desviar vários milhões de dólares dos fundos do governo. Saakashvili rejeita as acusações como "infundadas e politizadas". Atualmente, ele trabalha como assessor do presidente ucraniano Pyotr Poroshenko. 

A Procuradoria da Ucrânia também alega que o pedido de extradição do ex-presidente para a Geórgia é "politicamente motivado" e contraditório em relação à Convenção Europeia dos Direitos Humanos de 1950.

O gabinete do procurador-geral da Geórgia disse que pediu formalmente à Ucrânia para deter Saakashvili e extraditá-lo para a Geórgia em 17 de fevereiro. Segundo Tbilisi, o lado ucraniano "se recusou a cooperar" neste assunto.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала