Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Ucrânia pede que UE mantenha sanções para pressionar Rússia

© Sergey StarostenkoArseniy Yatsenyuk, primeiro-ministro da Ucrânia
Arseniy Yatsenyuk, primeiro-ministro da Ucrânia - Sputnik Brasil
Nos siga no
A Ucrânia pediu à União Europeia (UE), nesta quinta-feira, que permaneça unida na manutenção das sanções que pressionam a Rússia no que diz respeito ao conflito no leste ucraniano. Líderes do bloco participam de uma reunião de cúpula em Bruxelas.

O primeiro-ministro ucraniano, Arseny Yatsenyuk, disse que se o presidente russo, Vladimir Putin, está tentando dividir a Europa a respeito da Ucrânia, uma demonstração de unidade durante a reunião "será a melhor resposta".

A Rússia e o conflito na Ucrânia estão no topo da pauta da reunião de dois dias em Bruxelas, mas os líderes não devem anunciar novas sanções porque o acordo de paz assinado em Minsk vem sendo, em grande parte, implementado.

Vladimir Putin, residente da Rússia, no primeiro aniversário do tratado da Crimeia - Sputnik Brasil
Putin: Rússia pronta para ajudar Ucrânia a superar crise
Mais de 6 mil pessoas foram mortas no conflito entre o Exército ucraniano e separatistas.

A Rússia sempre negou participação no conflito, mas a UE impôs proibição de concessão de vistos e o congelamento de ativos para 150 indivíduos, dentre eles russos do alto escalão do governo, e a 37 entidades como bancos, empresas e grupos separatistas. O bloco também impôs sanções econômicas que atingiram interesses financeiros e energéticos russos.

Os 28 países da UE, muitos com interesses divergentes e estratégicos na Rússia, lutam para manter uma frente unida no que diz respeito às ações contra Moscou.

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse que seu foco na cúpula do bloco será garantir a unidade no que diz respeito às sanções e ao acordo de cessar-fogo. "Eu trabalharei nesta noite para que a extensão das sanções seja guiada pelo acordo de Minsk e seu cumprimento", declarou ao Parlamento alemão antes de partir para Bruxelas.

Para Yatsenyuk, se houver rachas no bloco, "será o maior sucesso na história para o presidente Putin". "Eu rejeito fortemente qualquer debate sobre o alívio das sanções", declarou o premiê ucraniano.

Ele também expressou otimismo a respeito do apoio europeu ao pedido de seu governo para o envio de uma força internacional de capacetes azuis (Força de Manutenção da Paz) da Organização das Nações Unidas (ONU) para a Ucrânia. "Todos querem a paz na Europa. Uma das ferramentas para chegarmos à paz é enviar forças de paz."

Também nesta quinta-feira, um influente comitê parlamentar europeu votou a favor do plano para fornecer à Ucrânia 1,8 bilhão de euros (US$ 1,92 bilhão) em empréstimos para ajudar a retirar o país da recessão econômica.

A medida formaliza o plano que entrará formalmente em vigor em 25 de março e pelo qual dois terços desse valor será desembolsado até o final do ano.

fonte: Estadão Conteúdo

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала