G7 tomará medidas contra quem violar acordos de Minsk

Nos siga noTelegram
O G7, grupo das sete maiores economias do mundo, acompanhará de perto a implementação dos acordos de Minsk e está pronto para tomar medidas contra aqueles que violarem o que foi assinado na última quinta-feira

O acordo foi negociado em um encontro que durou 16 horas na Bielorrúsia que contou com o presidente russo, Vladimir Putin, a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, e o presidente francês, François Hollande.

"Nós, líderes de Canadá, França, Alemanha, Itália, Japão, Reino Unido e Estados Unidos, o presidente do Conselho Europeu e o presidente da Comissão Europeia aprovamos o pacote de medidas para realização dos acordos de Minsk", diz a declaração conjunta dos integrantes do G7.

"A realização do pacote de Minsk abre caminho para uma completa, estável e pacífica solução da crise ucraniana. O G7 está pronto para aplicar medidas oportunas contra aqueles que violarem o pacote de Minsk, em especial contra aqueles que não observarem o total cessar-fogo e a retirada de armamentos pesados", completa o texto.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала