Rússia vai monitorar a retirada de combatentes estrangeiros do conflito ucraniano

Nos siga noTelegram
O representante permanente da Rússia na União Europeia, Vladimir Chizov, declarou nesta sexta-feira, 13, que Moscou vai monitorar a implementação das disposições do acordo de Minsk sobre a retirada de combatentes estrangeiros da zona de conflito na Ucrânia, incluindo os cidadãos da União Europeia.

Ele comentou a declaração do chefe do Conselho Europeu, Donald Tusk, sobre a falta de informações por parte de Bruxelas a respeito da atuação mercenários provenientes da União Europeia, em particular, da Croácia, no conflito ucraniano.

Negociações em Minsk - Sputnik Brasil
Opinião: Rússia ganha batalha após Acordos de Minsk
O diplomata russo disse que “para um observador imparcial informado, não é segredo que o conflito no leste da Ucrânia envolve a atuação de cidadãos de muitos países”. Segundo ele, “sim, existem cidadãos russos na guerra de Donbass (leste da Ucrânia), Moscou nunca negou isso, mas em ambos os lados há uma série de cidadãos de outros países, incluindo cidadãos da União Europeia".

Chizov ainda comentou que "a demanda para a retirada de todas as forças estrangeiras e da zona de conflito é uma das disposições dos documentos de Minsk”. Ele concluiu garantindo que a Rússia vai observar de perto como o lado ucraniano e os outros atores vão realizar essas obrigações. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала